Está aqui

Faurecia de Bragança está a dispensar dezenas de trabalhadores dos quadros

A fábrica de Bragança da multinacional de origem francesa do setor automóvel aderiu ao lay-off, mas está a utilizar o regime de “mútuo acordo” para reduzir os quadros. Notícia do Interior do Avesso.
Inauguração de uma fábrica da Faurecia em Caligny em 2009. Foto de Régions Démocrates 2010/Flickr.
Inauguração de uma fábrica da Faurecia em Caligny em 2009. Foto de Régions Démocrates 2010/Flickr.

A Faurecia em Bragança, empresa do ramo automóvel, aderiu ao lay-off, que não permite que ocorram despedimentos. Por isso estão a ser dispensados funcionários com recurso ao regime de “mútuo acordo”.

Segundo o Jornal Nordeste, a fábrica não revelou quantos funcionários já foram dispensados, mas de acordo com fonte próxima, já terão ido para casa mais de 50 trabalhadores, onde se incluem pessoas com idade avançada ou que recebam mais do que o ordenado mínimo e executam cargos superiores, como chefes de equipas e técnicos.

A mesma fonte adiantou ainda que este número não vai ficar por aqui e continuam a ser feitos acordos para dispensar trabalhadores.

A quebra do número de encomendas, entre os 30% e os 40%, estará na origem da redução dos trabalhadores, conforme esclareceu a Faurecia ao Jornal Nordeste. “A Faurecia Bragança exporta 100% da sua produção e, uma vez que algumas fábricas para as quais trabalha na Europa, têm estado a encerrar, devido, sobretudo, à falta de componentes eletrónicos provenientes de outros fornecedores, e outras reduziram os seus volumes, a fábrica de Bragança tem de se adaptar a esta realidade”.

Segundo a notícia, o acordo estará a incluir uma indemnização. Até à sexta-feira passada a fábrica contava com cerca de 700 trabalhadores, prevendo recuperar e retomar esse número a partir de 2022.

Notícia publicada no Interior do Avesso.

Termos relacionados Sociedade
(...)