Está aqui

Eurodeputados exigem acesso aos documentos do TTIP

Material classificado está encerrado numa sala do Parlamento Europeu e nem os eurodeputados têm acesso a eles. “Os cidadãos têm o direito de saber qual é o conteúdo deste tratado, têm o direito de decidir”, disse Marisa Matias, uma das organizadoras do protesto que juntou mais de 40 parlamentares.
Protesto reuniu 40 eurodeputados diante da sala fechada. Foto do GUE/NGL

Esta quarta-feira, no Parlamento Europeu, os deputados do GUE/NGL juntamente com alguns deputados dos Verdes, uma deputada do EFDD (do movimento 5 estrelas) e uma deputada independente do S&D, participaram numa flashmob em frente da "sala de leitura", onde estão os documentos classificados do TTIP (Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento), à qual só podem aceder alguns deputados e com autorização especial.

O objetivo do protesto foi denunciar o secretismo decidido e imposto pelo Conselho e pela Comissão e exercer pressão, denunciando a falta de democracia dessa atitude, que é aliás contrária ao que se passa no Congresso dos EUA ou no Bundestag. O único progresso a que assistimos recentemente foi a possibilidade de os poucos eurodeputados com acesso à "sala de leitura" tirarem notas.

Não podemos aceitar que este Tratado que põe em causa tantos direitos dos cidadãos não seja discutido com os próprios cidadãos, diz Marisa Matias.

Com esta flashmob, estes eurodeputados chamaram a atenção da opinião pública europeia para esta total falta de transparência e para o facto de que muitos dos parlamentares discordam totalmente deste secretismo.

Na ação inicialmente convocada por 26 deputados, entre os quais Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, participaram mais de 100 pessoas, entre as quais mais de 40 deputados.

"Os cidadãos têm o direito de saber qual é o conteúdo deste tratado"

Em declarações aos jornalistas presentes, Marisa Matias afirmou:

“Não podemos aceitar que este Tratado que põe em causa tantos direitos dos cidadãos não seja discutido com os próprios cidadãos. Nem mesmo nós, representantes dos cidadãos, podemos ter acesso. Isto não devia acontecer em nenhum lugar do mundo. E nós não podemos permitir que esta situação continue. Os cidadãos têm o direito de saber qual é o conteúdo deste tratado, têm o direito de decidir, porque isso é o que deveria acontecer em qualquer democracia e nós ainda estamos a lutar numa democracia e não num modelo que é totalmente controlado pelos mercados e pelo lucro. Nós queremos dar a palavra final aos cidadãos e, como seus representantes, queremos ter acesso aos documentos.”

Access Denied: MEPs stage TTIP reading room demonstration

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)