Está aqui

Estudo sugere que vikings colonizaram os Açores antes dos portugueses

Há vestígios de colonização humana datados de entre 750 a 850. Esta é atribuída aos povos nórdicos que, devido ao aumento das temperaturas e ao fortalecimento dos ventos teriam mais facilidade em alcançar o arquipélago.
Açores. Foto de Viktar Palstsiuk/Flickr.
Açores. Foto de Viktar Palstsiuk/Flickr.

Um estudo publicado este mês na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences utiliza vestígios de pólens, de carvão, de colheitas e de fezes como provas de que houve uma colonização dos Açores muito anterior à data oficial de chegada dos portugueses.

A equipa liderada por Pedro Raposeiro, do Centro de investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade dos Açores, recolheu “núcleos cilíndricos de sedimentos de leitos de cinco lagos de todo o arquipélago como parte de um esforço para detalhar a história climática da região”. Nestes sedimentos descobriram-se fezes de vacas e ovelhas e carvão vegetal que mostram o impacto ambiental da chegada de seres humanos às ilhas. Ao mesmo tempo registava-se uma queda nos vestígios de pólens de árvores nativas. Identificam-se mesmo “três fases, durante as quais a pressão humana sobre os ecossistemas terrestre e aquático cresceu consistentemente (i.e. através de introdução de gado, do abate de árvores e do fogo)”.

Segundo a equipa de investigadores, estes vestígios datam de entre 750 a 850 e “oferecem provas claras da colonização pré-portuguesa dos Açores”.

Esta colonização é atribuída aos povos nórdicos que, devido à alteração das condições climatéricas, o aumento das temperaturas e o enfraquecimento dos ventos de ocidente e o fortalecimento dos ventos de nordeste, “teria facilitado chegadas ao arquipélago a partir do nordeste da Europa e inibido a exploração a partir do sul”. Portanto, estes resultados “sugerem que os nórdicos foram provavelmente os habitantes mais antigos das ilhas”.

E vão ao encontro de outra investigação, do biologista evolucionário Jeremy Searle, da Universidade de Cornell, que também conclui que os vikings foram os primeiros habitantes dos Açores. As conclusões deste investigador partem da análise do ADN das populações de ratos ainda existentes no arquipélago. Ao Observer, explicou que “os ratos entram nos barcos e são transportados por todo o mundo pelos humanos. Onde se encontram seres humanos, encontram-se ratos, se encontramos ratos e se conseguirmos descobrir de onde vieram estes ratos conseguimos perceber de onde vieram esses seres humanos originariamente.”

O trabalho de Searle tinha identificado linhagens de ratos que partilham da mesma herança genética nos locais das ilhas britânicas de influência viking e na Noruega. Depois disso, encontrou a mesma assinatura genética em ratos dos Açores e da Madeira, ao mesmo tempo que pouco ratos destas zonas partilham a herança dos ratos de Portugal continental.

Termos relacionados Cultura
(...)