Está aqui

Desde sexta-feira, 700 pessoas juntam-se à rede solidária de Lisboa

Na passada sexta-feira, o gabinete da Ação Social da Câmara Municipal de Lisboa, da responsabilidade do vereador bloquista Manuel Grilo, lançou o portal Rede Solidária para mobilizar a comunidade de forma a organizar ajuda de proximidade para idosos, pessoas com deficiência e isoladas. Em poucos dias, houve cerca de 700 inscrições.

Em nota enviada esta terça-feira à comunicação social, o gabinete de Ação Social da Câmara Municipal de Lisboa informou que cerca de 700 lisboetas aderiram à rede solidária de Lisboa passada para ajudar os seus concidadãos mais vulneráveis, idosos, pessoas com deficiência ou em isolamento.

Esta rede foi lançada apenas na sexta-feira pelo que o gabinete do vereador Manuel Grilo considera que houve uma “mobilização inédita”. O trabalho será agora de triagem “para afastar potenciais membros de grupos de risco, dividir pessoas por tipos de tarefas preferidas, assim como por freguesias da cidade”.

Na página de inscrição na Rede Solidária desta autarquia, os munícipes são convidados a preencher os seus dados indicando, nomeadamente horários e freguesias. Depois, entra em jogo o pelouro da Ação Social, responsável pela triagem. Mais tarde serão as 24 Juntas de Freguesia a distribuir as tarefas consoante “as necessidades da população vulnerável do seu território”.

Há diferentes tipos de atividade de apoio que podem ir desde realização de compras, entrega de refeições e medicamentos ou passeio de animais domésticos. Estas tarefas serão rotativas pelo que todos os inscritos acabarão por ser chamados.

Termos relacionados Sociedade
(...)