Está aqui

COP22: Pedro Soares defende compromissos claros para salvar Acordo de Paris

O deputado do Bloco que preside à comissão parlamentar do Ambiente está na cimeira climática em Marraquexe, onde alertou para as dificuldades no caminho do combate às alterações climáticas.
Cimeira de Marraquexe já arrancaram as negociações políticas entre os 192 países participantes.

Após uma semana de reuniões técnicas, a 22ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP 22) em Marraquexe teve início esta terça feira. Para o deputado bloquista Pedro Soares, que integra a delegação do parlamento português na qualidade de presidente da comissão de Ambiente, o maior desafio desta cimeira será “não deixar que o Acordo de Paris se fique por uma simples declaração retórica, de muito pouco efeito prático, o que se tornaria dramático a nível global”.

Apesar das metas ambiciosas definidas em Paris para limitar a 1.5ºC o aumento da temperatura média global, “não foram definidas formas de monitorização das metas a que cada país se comprometeu, nem mecanismos sancionatórios para quem não as cumpra”, lembrou Pedro Soares. “Também não está garantido o financiamento do Fundo Verde para o Clima que precisa até 2020 de cem mil milhões de euros, para que possam ser adotadas medidas de adaptação dos países mais vulneráveis às alterações climáticas”, acrescentou.

“Sem compromissos claros entre os Estados sobre transparência e monitorização das metas de descarbonização das respetivas economias, medidas sancionatórias para quem não cumpra, financiamento do Fundo Verde para o Clima e definição de regras para a aplicação do Acordo de Paris, correr-se-á o elevado risco de Marraquexe poder acrescentar muito pouco ao combate contra as alterações climáticas”, alertou o deputado do Bloco que vai acompanhar os trabalhos desta cimeira.

(...)