Está aqui

Bloco sublinha “sentido de civismo e solidariedade” e não exclui nenhuma medida

O líder parlamentar bloquista defendeu que “ninguém pode neste momento fechar a porta a qualquer medida que possa ser tomada no futuro” para enfrentar a pandemia do Covid-19.

Pedro Filipe Soares enalteceu esta segunda-feira “o espírito de civismo e de solidariedade que está a perpassar o país”, sublinhando em declarações à agência Lusa que "com raríssimas exceções" é percetível que "os portugueses e portuguesas estão a perceber a gravidade da situação" da pandemia do novo coronavírus.

"O civismo que foi demonstrado nos últimos dias é de realçar porque mostra que não foi preciso recorrer a situações de restrição de liberdades para que as pessoas pudessem responder de forma séria e de forma estruturada a esta pandemia, mas sabemos que o tempo traz também um cansaço e um desgaste que tem que ter uma resposta ao longo desse período, para garantir que as medidas mantenham a sua eficácia e por isso nós acompanhamos a situação e percebemos que, sendo dinâmica, poderá levar a outras tomadas de decisão mais à frente", admitiu.

Questionado pela agência Lusa sobre a possibilidade de ser declarado o estado de emergência devido à pandemia do novo coronavírus, Pedro Filipe Soares afirmou que o Bloco avaliará todas as medidas que venham a ser propostas “mas não podemos - ninguém pode neste momento - fechar a porta a qualquer medida que possa ser tomada no futuro porque percebemos que se à data de hoje, à hora que estamos a falar, as medidas tomadas têm sido as devidas, ninguém pode garantir que amanhã depois de amanhã no final da semana não haja mais medidas ou outras necessidades", explicou.

"E o Bloco de Esquerda, reconhecendo a gravidade da situação que nós estamos a enfrentar, realçando esse sentido de civismo e solidariedade, também não pode deixar de reconhecer que podem ser necessárias outras medidas e cá estaremos para as acompanhar", garantiu.

Termos relacionados Covid-19, Política
(...)