Está aqui

Bloco: Governo deve explicar claramente porque proibiu aterragem de avião de Morales

A deputada do Bloco Helena Pinto afirmou, esta quarta feira, que a atitude do Governo é “completamente inadmissível” e contrasta com outras posições tomadas no passado. A dirigente bloquista sublinhou ainda que “a decisão do Governo de Portugal, para além de infundada e por isso irresponsável, motivou um incidente diplomático que terá consequências nas relações de Portugal com Estados amigos”.
Foto Tiago Petinga/Lusa.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, Helena Pinto sublinhou que “não se entende esta tomada de posição do governo português” de fechar o seu espaço aéreo a “um avião de um país com o qual tem relações diplomáticas e tem relações de amizade”.

“É preciso dizer que uma atitude deste tipo, que não tem cobertura à luz do direito internacional e à luz da relação entre os países, contrasta também com outras posições num passado que não é ainda muito longínquo”, afirmou a dirigente bloquista, referindo-se ao facto de, em 2006, um Governo sustentado pela mesma maioria política ter encoberto a passagem pelo espaço aéreo português de voos clandestinos dos serviços secretos norte-americanos que transportavam presos ilegalmente para Guantánamo.

Reforçando que o Bloco considera “completamente inadmissível” a atitude do executivo, a deputada alertou ainda que este é “um assunto com implicações internacionais que pode dar origem a um conflito internacional”, lembrando que o parlamento boliviano põe em causa a permanência dos diplomatas portugueses no país.

Num requerimento endereçado ao primeiro ministro, Helena Pinto refere que “é sobretudo o critério político que exige esclarecimentos cabais por parte do Governo” e que “a justificação, agora apresentada em comunicado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, de que o impedimento se deveu a 'considerações técnicas', não é aceitável perante um incidente político desta dimensão”.

Governo boliviano poderá expulsar diplomatas de França, Portugal e Itália

Segundo noticia a agência Lusa, o deputado Galo Bonifaz, do partido de Evo Morales, afirmou a um órgão de informação local que o parlamento boliviano se prepara para apresentar uma resolução para pedir ao Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bolívia a expulsão dos embaixadores da França, Portugal e Itália.

O Governo boliviano informou, entretanto, que vai convocar com urgência estes responsáveis para esclarecerem o incidente diplomático, que está a motivar várias manifestações em La Paz, em frente a várias embaixadas internacionais.


 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
Comentários (5)