Está aqui

Angola: militares ligados à Presidência apanhados a tirar do país milhões de euros

O Presidente angolano anunciou exonerações na sua Casa de Segurança. Na semana passada, o chefe das finanças da banda musical da Presidência foi detido quando tentava sair do país com duas malas carregadas com dez milhões de dólares.
Presidência da República de Angola. Foto da instituição.
Presidência da República de Angola. Foto da instituição.

A Procuradoria-Geral da República angolana divulgou esta segunda-feira uma nota em que informa que foi aberto um processo crime “em que estão envolvidos oficiais das Forças Armadas Angolanas afetos à Casa de Segurança do Presidente da República, por suspeita de cometimento dos crimes de peculato, retenção de moeda, associação criminosa e outros”.

A acusação surge na sequência de uma ação policial em que “foram apreendidos valores monetários em dinheiro sonante, guardados em caixas e malas, na ordem de milhões em dólares norte-americanos, euros e kwanzas, bem como residências e viaturas”.

A ação surge uma semana após o chefe das finanças da banda musical da Presidência da República, o major Pedro Lussaty, ter sido preso quando tentava retirar do país dez milhões de dólares em duas malas.

Ao mesmo tempo do comunicado da PGR angolana, a Presidência da República anunciava a exoneração de seis oficiais superiores da sua Casa de Segurança, invocando que a decisão foi tomada de acordo com a Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas Angolanas e depois de ouvido o Conselho de Segurança Nacional. Os militares demitidos são o tenente-general Ernesto Guerra Pires, consultor do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, o tenente-general Angelino Domingos Vieira, secretário para o pessoal, o tenente-general José Manuel Felipe Fernandes, secretário-geral da Casa de Segurança do Presidente da República, o tenente-general João Francisco Cristóvão, diretor de gabinete do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, o tenente-general Paulo Maria Bravo da Costa, secretário para a logística e infraestruturas da Casa de Segurança e o brigadeiro José Barroso Nicolau, assistente principal da secretaria para os assuntos dos Órgãos de Inteligência e Segurança de Estado da Casa de Segurança.

Termos relacionados Internacional
(...)