Está aqui

50 anos do 25 de Abril: “Todos têm lugar nesta festa e todos são necessários ao debate”

A Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril propõe iniciativas para recordar, aprender, debater e celebrar, num programa sempre em aberto a que apela à participação de toda a população.
25 de abril, sem cultura não há liberdade
Manifestação dos 49 anos do 25 de abril, em Viseu

Foi apresentado esta quarta-feira o programa oficial das Comemorações dos 50 Anos do 25 de Abril para 2024. Ele propõe inúmeras iniciativas para recordar e partilhar (exposições, dossiês multimédia e campanhas evocativas), aprender e ensinar (projetos escolares), pensar e debater (colóquios e publicações) e celebrar (artes, espetáculos e cerimónias).

As celebrações de Abril e as suas conquistas passam, este ano, pela partilha, pelo debate e pela festa, através de iniciativas desenvolvidas pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril, "em nome próprio ou em cooperação com outros, e através daquelas a que, de alguma forma, nos associámos.” 

“As Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril pretendem contribuir para uma sociedade mais conhecedora da sua história recente, e também mais participativa, plural e democrática. Consideramos que preservar a liberdade e a democracia é um dever de todos. Por isso, pretendemos que 2024 seja um ano de festa e de evocação, mas também de aprendizagem, de reflexão e de ação. O Programa visa a mobilização do conjunto da sociedade e, nesse sentido, permanece aberto à colaboração de todos, com a ajuda das plataformas digitais. Todos têm lugar nesta festa e todos são necessários ao debate”, afirma Maria Inácia Rezola, Comissária Executiva.

Com a ideia de que toda a sociedade é chamada a participar, o mote este ano para as comemorações da Revolução é 50xTodos. Para tal será disponibilizado no site oficial das comemorações (50anos25abril.pt) “um conjunto de recursos de uso livre, que inclui exposições, recursos educativos e recursos criativos, para que cada um possa escolher, em liberdade, como pretende comemorar a data.”, lê-se no site.

Foi criada ainda uma secção nova no site, a Agenda 25.04, que permitirá aos “municípios, organismos estatais e às mais variadas organizações da sociedade divulgarem, para consulta pública, as iniciativas que estão a desenvolver para assinalar a data.”

Será lançado ainda este ano uma nova linha concursal de apoio à criação literária, para a atribuição de Bolsas de Criação dedicadas a ensaios sobre o 25 de Abril de 1974, num montante global de 60 mil euros. Haverá ainda uma segunda edição do apoio “Arte pela Democracia”, dirigido a projetos de artes visuais, artes performativas, artes de rua e cruzamento disciplinar, e com um montante financeiro de um milhão de euros. No total, estes apoios vão atribuir 3,4 milhões de euros.

O programa das Comemorações pretende “mobilizar e inspirar, mas sem circunscrever”

Em 2024, o programa divide-se sobretudo em quatro ações: recordar e partilhar, aprender e ensinar, pensar e debater e celebrar.

Para os dias 24 e 25 de Abril, a Comissão assinala o derrube de 48 anos de ditadura com a “realização de um conjunto alargado de concertos e espetáculos de Video Mapping a ser transmitidos, alternadamente, pela RTP”, mas também vários momentos de reconstituição histórica da operação militar de há 50 anos.

Do programa já revelado destaca-se a Exposição “50 passos para a Liberdade: Portugal, da Ditadura ao 25 de Abril”, que retrata “os últimos anos da ditadura e os primeiros momentos depois do seu derrube, abrangendo o intervalo temporal entre setembro de 1968 e julho de 1974.”, entre muitas outras exposições disponíveis em formato itinerante.

A Comissão avança também com a promoção de um estudo de opinião “Os portugueses e o 25 de Abril”, uma sondagem que pretende “apurar a perceção dos portugueses sobre a Democracia e os legados do 25 de Abril”. Os resultados serão apresentados a 19 de abril, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O programa aposta num cruzamento disciplinar, desde a realização de mostras/ciclos de cinema e audiovisual português, escrita, concertos, exposições e artes performativas.

O programa completo pode ser consultado aqui.

(...)