Está aqui

Governo desvia verba dos centros de emprego para ETTs

Bloco acusa executivo de utilizar verbas públicas para colocar empresas de trabalho temporário a cumprir competências que são dos centros de emprego, e lembra que essas empresas exploram os jovens e apostam na precariedade.
"Não precisamos hoje em Portugal de nenhum mecanismo de ficção", diz Ana Drago

Segundo o Público desta sexta, o governo vai pagar às agências privadas de emprego que arranjem trabalho a desempregados não subsidiados, substituindo uma função que corresponde aos centros de emprego. A medida faz parte do Programa de Relançamento do Serviço Público de Emprego, aprovado em Conselho de Ministros.

A deputada Ana Drago, do Bloco de Esquerda, considerou preocupante esta medida e acusou o governo de "andar a fingir que se está a fazer algo em prol dos desempregados".

"Preocupa-nos muito a forma como este mecanismo está a ser criado, temos centros de emprego em Portugal que têm experiência e trabalho com os desempregados. Ora, o governo tem tido um discurso no sentido de dispensar funcionários públicos e cortar competências, ao mesmo tempo que vai desviar agora verbas para empresas privadas", disse.

Para a deputada bloquista, "não precisamos hoje em Portugal de nenhum mecanismo de ficção, num país com um milhão e 200 mil portugueses à procura de emprego, uma taxa de desemprego de 14%, com um terço dos jovens desempregado, as verbas públicas devem ser direcionadas para criar emprego".

Ana Drago recordou que as empresas de trabalho temporário "são conhecidas por explorar os jovens" e por usar "mecanismos de vinculação laboral absolutamente precários".

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)