Inteligência artificial

Sequestrada pelo interesse egoísta do capital, nova tecnologia não impulsiona economias, nem eleva a produtividade. Apenas aliena o trabalho e concentra riquezas.

Michael Roberts

A Inteligência Artificial não é neutra nem um benefício em si mesma. No segundo vídeo da série CAPS LOCK, José Gusmão fala sobre como o equilíbrio entre risco e benefício da IA só se consegue com regulação forte e controlo democrático.

Secretário-geral da ONU dá o exemplo de Gaza, Ucrânia ou Sudão e sublinha que esta impunidade decorre da atual fragmentação da comunidade internacional. António Guterres afirmou que Netanyahu tem recusado todas as suas tentativas de contacto desde 7 de outubro.

Num relatório elaborado antes do Fórum de Davos, o Fundo Monetário Internacional diz que a introdução da IA afetará 60% dos empregos nas economias avançadas e de alguns países emergentes.

Este projeto pioneiro procurava usar a tecnologia para ampliar a participação política. Passados 50 anos, a investigadora Eden Medina, que esudou o Cybersyn, defende que o Estado deve liderar as inovações para colocar o ser humano no centro em vez de automatizá-lo, como faz a IA.

A publicação abriu, esta quarta-feira, uma nova frente na batalha legal contra o uso não autorizado de trabalhos publicados para treinar tecnologias de inteligência artificial, como é o caso do ChatGPT.

Enquanto entusiastas celebram que a União Europeia se vá tornar na primeira região do mundo a regular a inteligência artificial, as ONG  lamentam que esta se torne numa oportunidade perdida para proteger os direitos fundamentais.

Exército israelita desenvolveu a plataforma Habsora, que analisa comunicações, imagens de drones e satélites, dados de vigilância e padrões de comportamento de indivíduos e grupos para selecionar alvos. Uma "fábrica de assassinatos em massa" que multiplicou os alvos atingidos face a anteriores ataques.

As práticas coletivas que assumirão um sentido pleno de resistência aos novos dispositivos que cada vez mais tomarão forma terão de encontrar na solidariedade o lugar onde se refugiar para tornar a existência tolerável. Por Stefano Rota.

Numa realidade de poder e riqueza hiperconcentrados, a Inteligência Artificial – longe de corresponder a todas essas alucinações utópicas – tem muito mais probabilidade de se tornar uma ferramenta temível de mais desapropriação e espoliação. Artigo de Naomi Klein.

As novas plataformas educativas embrenhadas na lógica do mercado entram pela escola e mudam a função docente, fazendo os professores perder e/ou ver desvalorizados alguns dos seus papéis e tarefas. Antonio Lovato Sagrado, Amanda Aliende da Matta e Enric Prats Gil refletem sobre o que isto significa para a educação.

Há quase 50 anos, o metalúrgico e economista Harry Braverman publicou um livro que mostrava como os patrões utilizam a tecnologia para retirar poder aos trabalhadores - mas que, ao assumirem o controlo do processo de trabalho, os trabalhadores podem libertar-se da servidão. Por Mark Allison.

 

Margaret Atwood, Jonathan Franzen e Dan Brown estão entre os autores da carta aos CEO das empresas de Inteligência Artificial. Denunciam a a “injustiça” de as empresas lucrarem à custa do seu trabalho, em vez de obterem o seu consentimento, creditá-los e compensá-los.

Proposta aprovada obriga a que se revele que conteúdos foram gerados por IA e proíbe os sistemas de identificação biométrica à distância "em tempo real" em espaços públicos. Mas foi rejeitado o princípio da precaução e a proibição de usar a IA para a gestão de migrações.

Acusações falsas baseadas em informação compilada pelo ChatGPT resultaram numa queixa à justiça nos EUA. Em causa está saber se as empresas de inteligência artificial gozam da mesma proteção dada aos motores de busca.

Aos 75 anos e após uma década ao serviço da gigante tecnológica, Geoffrey Hinton diz querer ser livre para apontar os riscos da IA, a começar pela substituição de empregos e a incapacidade das pessoas discernirem entre conteúdos verdadeiros e falsos publicados na internet.

Os debates sobre a nova IA centram-se na "inteligência". Mas há algo mais interessante a acontecer: a IA é uma máquina de cultura. Por Leif Weatherby.

O governo britânico propôs uma exceção à lei dos direitos de autor para isentar as empresas tecnológicas que usam os catálogos das editoras para treinar os seus bots criadores de música. Criadores humanos temem ficar sem recompensa pelo seu trabalho. Por Hayleigh Bosher.