You are here

A injeção EpiPen, exemplo dos abusos das farmacêuticas

Nos últimos cinco anos, a farmacêutica Mylan aproveitou o seu monopólio para impor uma subida do preço nos Estados Unidos de 461%. Duas doses da injeção para reações alérgicas severas chegam a custar atualmente 600 dólares (540 euros).

Desde que a Mylan adquiriu os direitos da EpiPen, em 2007, o preço deste medicamento, indicado para o tratamento de emergência de reações alérgicas agudas (anafilaxia), para auto-administração pelo doente, aumentou de 56,64 dólares para 317,82 dólares nos Estados Unidos, o equivalente a um aumento de 461%, aponta o Guardian.

Já o preço na farmácia para quem não possui seguro chega a atingir 600 dólares, segundo o El País. O EpiPen gera vendas anuais no país valor de 2.000 milhões de dólares, o equivalente a metade do resultado operativo da Mylan.

Num país onde existem 43 milhões de pessoas em risco de sofrer alergias severas, o auto-injetor de epinefrina (adrenalina) é comummente utilizado nos Estados Unidos pelas famílias com crianças alérgicas, bem como nos restaurantes, por forma a responder a crises severas dos seus clientes. O prazo de validade deste produto é de um ano, o que implica a sua renovação periódica.

Tendo em conta que, tal como assinala o jornal diário espanhol, os rivais da empresa ainda não foram capazes de oferecer uma alternativa ao EpiPen – a Sanofi teve de retirar do mercado o Auvi-Q por problemas com as doses e a agência do medicamento recusou o genérico rival da Teva e da Adamis – existe uma situação clara de monopólio, para benefício de Heather Bresch, CEO da Mylan.

Bresch, filha do senador Joe Manchin, viu no EpiPen uma oportunidade de ouro. Exercendo uma intensa pressão junto do Congresso para introduzir o medicamento nos colégios e nos locais públicos, e conseguindo ainda condições mais favoráveis por parte da agência do medicamento no que respeita às receitas, a CEO da Mylan promoveu uma poderosa campanha publicitária que resultou num aumento exponencial das vendas.

Nos últimos anos, a remuneração de Bresch aumentou de 2.453.456 dólares para 18.931.068 dólares, um aumento de 671%. Na semana passada, Bresch vendeu 100.200 das suas ações na empresa por mais de 5 milhões de dólares.

Mylan sobre pressão política

Vinte senadores norte americanos, entre os quais Elizabeth Warren e Bernie Sanders, enviaram uma carta aberta na terça-feira para a Mylan a criticar os aumentos exorbitantes do preço do EdiPen.

No documento, citado pelo Guardian, é assinalado que o EpiPen tornou-se tão caro que o acesso a este produto que salva vidas está em risco.

Os senadores deram a Bresch um prazo até 12 de setembro para apresentar um plano no sentido de lançar uma versão genérica mais barata do EpiPen e para tornar a atual versão mais acessível para diversos público-alvos.

A Casa Branca também já veio acusar a empresa liderada por Heather Bresch de sobrepor os seus interesses à saúde dos mais vulneráveis.

Termos relacionados Internacional
(...)