You are here

Hong Kong: Polícia dispara outra vez gás lacrimogéneo em manifestação

Este sábado, a polícia de choque disparou gás lacrimogéneo em Hong Kong no decorrer de mais uma manifestação anti-totalitarismo. Novo protesto está agendado para terça-feira, apesar da proibição policial.
Fotografia: Fazry Ismail/Lusa
Fotografia: Fazry Ismail/Lusa

Segundo a Associated Press, a polícia isolou uma parte de uma rua em Causeway Bay, zona comercial de Hong Kong, depois de se ter juntado uma multidão para uma manifestação pró-democracia. A manifestação levou ao encerramento das lojas e a uma atmosfera tensa.

A polícia emitiu avisos e repetiu que o protesto era ilegal, numa altura em que a multidão já tinha mais de mil pessoas. Para dispersar, disparou gás lacrimogéneo. Fez ainda várias detenções.

Esta manifestação foi a continuação de protestos iniciados em junho devido a um processo de extradição, agora arquivado. O objetivo da onda de protestos é aprofundar a democracia no território chinês semi-autónomo, fazendo parte dos comícios globais de anti-totalitarismo planeados para mais de 60 cidades por todo o mundo para denunciar a “tirania chinesa”.

Está ainda planeada uma manifestação para esta terça-feira, apesar da proibição policial, provocando o receio de embaraço ao Presidente chinês, Xi Jinping, enquanto o seu Partido Comunista, no poder, celebra o 70º aniversário no poder.

O poder executivo de Hong Kong já reduziu as comemorações do Dia Nacional da cidade. A China tem negado liberdade a Hong Kong, ao mesmo tempo que acusa outros países de fomentarem a agitação de forma a enfraquecerem o seu domínio.

Termos relacionados Protestos em Hong Kong, Internacional
(...)