Está aqui

Saúde Mental em tempos de pandemia

Portugal é um dos países europeus com maior prevalência de doenças psiquiátricas. Ainda assim, contamos com uma fraca resposta pública nesta área. Mediante os impactos da covid-19 e o agudizar da crise socioeconómica, urge garantir que nos munimos dos recursos necessários para dar resposta à população. Dossier organizado por Mariana Carneiro.
Foto de Paulete Matos.

A médica psiquiatra Ana Matos Pires aponta que a Saúde Mental ganhou nos últimos meses uma relevância mediática e atenção política nunca antes registadas. Perante os impactos da covid-19 e o agravar da crise socioeconómica, é necessário que este reconhecimento se traduza em medidas concretas que, necessariamente, terão de passar pelo reforço do número de profissionais e a devida articulação das respostas.

Moisés Ferreira traça o débil ponto de partida no que toca a serviços de saúde mental em Portugal e alerta que não estão a ser reforçadas de forma significativa as respostas do SNS. O deputado defende que é precisa uma dupla estratégia: achatar a curva intervindo nos determinantes sociais e económicos e ter uma resposta pronta e preparada para os que adoecendo precisam de cuidados de saúde.

No seu artigo, Ana Paula Freitas aborda os fatores individuais do stress e a saúde mental no trabalho. A psicóloga enumera ainda várias medidas para minimizar o impacto da pandemia na saúde mental, que implicam alocar esforços e recursos suficientes para apoio à população. E deixa dicas importantes para não ficarmos bloqueados pelo medos e pela ansiedade.

Gustavo Sugahara fala-nos concretamente sobre a saúde mental na velhice. O economista, investigador do SERAF (Universidade de Oslo) e do DINÂMIA’CET-IUL defende que não devemos esperar para reforçar as prestações de cuidado ao longo da vida, e muito menos menosprezá-las durante a velhice.

Neste dossier damos ainda a conhecer o projeto Manicómio: a Arte no combate à estigmatização e o estudo da Universidade de Oxford sobre as implicações da covid-19 na saúde mental; os estudos da Ordem dos Psicólogos sobre o impacto socioeconómico e Saúde Mental e os custos económicos dos problemas de saúde mental; e o estudo da OMS, que revela que a pandemia suspendeu acesso a serviços de saúde mental em quase todos os países.

Sobre o/a autor(a)

Socióloga do Trabalho, especialista em Direito do trabalho
(...)

Neste dossier:

Saúde Mental em tempos de pandemia

Portugal é um dos países europeus com maior prevalência de doenças psiquiátricas. Ainda assim, contamos com uma fraca resposta pública nesta área. Com a covid-19 e o agudizar da crise socioeconómica, urge garantir os recursos necessários para dar resposta à população. Dossier organizado por Mariana Carneiro.

Saúde Mental: Contratar profissionais e articular respostas, a aposta que é necessário fazer-se

Nunca como nos últimos meses a saúde mental teve tanta relevância mediática e atenção política, importa que não fique no papel a reconhecida prioridade que, finalmente, todos dizem ter. Por Ana Matos Pires.

Covid-19 e a vaga de doença mental

Se se ficar apenas pelas renovadas juras de prioridade sem nunca se concretizar nada, o futuro próximo será muito difícil. Teremos uma vaga de doença mental sem recursos para a enfrentar. Por Moisés Ferreira.

Covid-19: um inimigo sem rosto

É de prever que os impactos da pandemia na saúde mental cresçam nos próximos meses, sobretudo com o aumento do desemprego e da crise económica. Por Ana Paula Freitas.

Vida precária, saúde mental na velhice... precária

Não devemos esperar para reforçar as prestações de cuidado ao longo da vida, e muito menos menosprezá-las durante a velhice. Por Gustavo Sugahara.

Psicólogos pedem combate às desigualdades e reforço de serviços de Saúde Mental

Ordem dos Psicólogos alerta que “o aumento dos problemas de Saúde Mental provocados pela crise pandémica e pela crise socioeconómica torna expectável um aumento da procura dos serviços e cuidados” nesta área e que, “em termos de resposta, a situação em Portugal não é a mais favorável”.

Manicómio: a Arte no combate à estigmatização

Criado em 2019, o Manicómio é um espaço de criação e galeria de Arte Bruta que promove trabalhos desenvolvidos por artistas com doenças mentais. Facilitar “o caminho da inclusão” e incentivar a empregabilidade são alguns dos seus objetivos.

93% dos países viram os serviços de saúde mental suspensos devido à pandemia

OMS: Pandemia suspendeu acesso a serviços de saúde mental em quase todos os países

Numa altura em que se regista um aumento da procura por serviços de saúde mental, 93% dos países inquiridos num estudo internacional afirmam ter suspenso ou interrompido o trabalho na área devido à pandemia. A OMS apela a um maior investimento.

saúde mental no trabalho

Problemas de saúde mental têm fortes custos económicos

Um relatório da Ordem dos Psicólogos diz que as empresas nacionais perdem 3,2 milhões e pede um reforço de investimento nesta área que considera “um investimento necessário que tem retorno”.

Consultório. Foto de Paulete Matos.

Estudo revela implicações da covid-19 na saúde mental

Um em cada cinco doentes com covid foram depois diagnosticados com ansiedade, depressão ou insónia, revela um estudo da Universidade de Oxford. Um dos autores defende que a doença psiquiátrica devia ser considerada fator de risco.