Está aqui

Sandra Cunha

Feminista e ativista. Socióloga.

Artigos do Autor(a)

19 de Junho, 2015 - 21:30h

E se um dia a diversidade não fosse passaporte para o desrespeito, a discriminação ou a violência?

28 de Maio, 2015 - 13:30h

Pela primeira vez o casamento homossexual foi aprovado por referendo. Aconteceu na Irlanda, no passado dia 22 de Maio. O sim obteve mais de 62% dos votos. Os irlandeses estão de parabéns. Em Portugal continuaremos a exigir o direito à adoção por casais homossexuais.

30 de Abril, 2015 - 12:28h

Prometem mais do mesmo. PSD e CDS juntinhos num casamento de conveniência. Responderemos com a voz do povo. Começaremos já no dia 1 de Maio. Pelo direito ao trabalho. Pelo direito à esperança.

3 de Abril, 2015 - 09:52h

Impressiona ver que exista ainda quem continue a insistir que as propinas não afastam estudantes do ensino superior. É o caso do Reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, que considera que não são 1.066 euros que retiram estudantes das universidades.

4 de Fevereiro, 2015 - 15:25h

Voltaram a ser chumbados na Assembleia da República, os projetos lei sobre a coadoção e adoção por casais do mesmo sexo. Mais uma vez vingaram o preconceito e a hipocrisia.

12 de Dezembro, 2014 - 00:22h

Tudo serve para que cada um de nós possa atenuar a fome das crianças e oferecer-lhes um Natal melhor. Esquecemos que o Natal são dois dias e que a 26 de Dezembro as crianças continuarão a ser pobres e a ver os seus direitos impiedosamente negados e pisados.

1 de Novembro, 2014 - 00:00h

No ano passado, o universo de crianças e jovens para quem adoção se afigurava como a possibilidade de saída do sistema de acolhimento totalizou 1.412. Mas para apenas 491 foi decretada uma medida de confiança com vista a futura adoção.

16 de Outubro, 2014 - 00:32h

Porque é que precisamos do Feminismo? Porque é preciso acabar com todas as discriminações e desigualdades. Porque é urgente erradicar a violência contra uma parte da população baseada no sexo com que nasceu. Porque exigimos as mesmas oportunidades, o mesmo respeito e a mesma dignidade que é concedida aos homens.

20 de Agosto, 2014 - 00:36h

São dois irmãos e vivem num carro debaixo de uma ponte em Paris. Primeiro disseram que não. Com o tempo, os sorrisos foram substituindo a desconfiança e o receio iniciais.

23 de Julho, 2014 - 19:51h

Quando se vivem crises económicas como a que o país atualmente vive e quando a miséria e o desespero se instalam para tantos de forma perene, parece existir uma tendência - que se assume quase como natural - para hierarquizar a importância das coisas. E das causas.

Páginas