Está aqui

Vaga de solidariedade internacional por Vermelho em Belém

Figuras públicas fora de Portugal, como as Ministras da Igualdade dos governos de Espanha e Luxemburgo, aderem nas redes sociais ao #VermelhoEmBelém, em resposta ao machismo de extrema-direita.

A tentativa do candidato presidencial da extrema-direita de denegrir Marisa Matias transformou o batom numa arma, dentro e fora de Portugal. A onda de solidariedade com a hashtag #VermelhoEmBelém ultrapassou fronteiras, com figuras públicas de vários países a mostrarem que não se deixam intimidar.

Ao Expresso, Catarina Martins, que também se tinha juntado já ao movimento dos lábios vermelhos, considerou que as declarações de André Ventura são “um insulto dirigido às mulheres” e que os comentário do dirigente do Chega estão “carregados de misoginia”.

O mesmo fizeram de maneiras diferentes políticos de várias áreas, artistas, ativistas sociais e muitas outras pessoas. Uns, limitaram-se a pintar os lábios em desafio, juntando a hashtag. Outros, juntaram as suas mensagens.

Iratxe Garcia Perez, líder da bancada dos socialistas no Parlamento Europeu, escreve no Twitter que "nem em Portugal nem na Europa permitiremos que um homem nos diga como nos devemos vestir, como devemos falar nem como devemos viver. Todo o meu apoio a Marisa Matias, hoje me pinto de #VermelhoEmBelém". 

Tania Bofferding, Ministra do Interior e Ministra da Igualdade entre Homens e Mulheres, do governo do Luxemburgo escreve: "Porque razão ainda temos de falar sobre igualdade de género e estereótipos? Porque, mesmo hoje, uma política é criticada pela cor dos seus lábios em vez das ideias que ela expressa utilizando esses lábios". 

 

Irene Montero, Ministra da Igualdade do governo de Espanha, escreve no Twitter: “Maquilhas-te como uma boneca”, “falas como uma criança”, “és uma histérica”. O que te incomoda realmente é que as mulheres ocupem o espaço público sem pedir autorização. Em frente Marisa Matias. Que viva a luta das mulheres”.

A porta voz do Bloque Nacionalista Galego, Ana Pontón, escreve "contra o machismo, todas unidas":

O professor de direito constitucional e deputado do parlamento da Catalunha eleito pelo En Comú Podemos, Gerardo Pisarello, junta-se a Pilar Del Rio e Victoria Rosell Aguillar.

 

Da Andaluzia, a antiga eurodeputada do Podemos e atual porta-voz do Adelante Andaluzia, Teresa Rodriguez, também dedicou a Marisa Matias a sua foto com os lábios pintados de vermelho, com a frase “Pintamo-nos (ou não) quando bem nos apetece”.

Da Catalunha, a eurodeputada Diana Riba i Giner, da Esquerda Republicana Catalã, junta-se ao apoio a Marisa Matias, “uma mulher valente e lutadora”:

Também a escritora e deputada da ERC no Parlamento catalão, Jenn Diaz, se juntou ao #VermelhoemBelem “contra os bárbaros, em Portugal e em todo o lado”:

A vaga de apoio inclui também figuras de outras áreas, como a jornalista do El Diario Olga Rodriguez, em apoio a Marisa Matias:

 

Do Brasil, também Guilherme Boulos, ex-candidato presidencial do Partido Socialismo e Liberdade que há poucos meses disputou a segunda volta da corrida à Câmara de São Paulo se juntou ao #VermelhoEmBelém, tal como o ex-deputado Jean Wyllys: 

 

 

Termos relacionados Política
(...)