Está aqui

Serviço postal americano mais lento desde a entrada de aliado de Trump

A redução da qualidade do serviço postal nos Estados Unidos da América lança o alerta sobre o possível impacto nas próximas eleições, por causa da maior adesão ao voto por correspondência.
Serviço postal americano mais lento desde entrada de aliado de Trump
Fotografia de Nat Tung/Flickr.

Segundo dados divulgados pelo jornal Guardian, o United States Postal Service (USPS), o serviço postal público dos Estados Unidos da América, viu uma redução drástica na taxa de entrega de correspondência dentro do prazo desde que Louis DeJoy, aliado do Presidente do país, assumiu a direção do serviço.

A nomeação de Louis DeJoy para o cargo já fora envolta em polémica por este, apesar de ser um importante financiador do Partido Republicano, não ter qualquer experiência prévia na área. Depois, foram as críticas às alterações ao modo de funcionamento do serviço postal que sipostamente pretendiam tornar o serviço público mais eficiente do ponto de vista financeiro. Porém, estas alterações geraram graves atrasos na entrega de correspondência.

Face a essa realidade e aos receios generalizados do impacto que esses atrasos poderiam ter na entrega dos votos por correspondência para as eleições presidenciais de novembro, DeJoy anunciou que iria adiar as mudanças até depois das votações e pouco depois foi um juiz federal que impediu a USPS de avançar com a sua implementação. É que, segundo este juiz, as alterações tinham o claro objetivo de criar uma “privação do direito de voto” num ato eleitoral em que se prevê um grande aumento da votação à distância face ao impacto da pandemia da covid-19.

“É fácil concluir que as recentes mudanças nos serviços postais são um esforço intencional por parte da atual administração para interromper e desafiar a legitimidade das próximas eleições locais, estaduais e federais”, escreveu Stanley Bastian, o juiz em questão. Porém, apesar de as novas medidas estarem suspensas, os atrasos continuam a observar-se.

Agora, de acordo com os dados a que o jornal inglês teve acesso, as zonas que viram um maior atraso e uma redução mais significativa do cumprimento dos prazos para entrega de correio são justamente os chamados “swing states”, aqueles cujo resultado eleitoral não é previsível e que terão um impacto determinante na eleição do próximo presidente dos EUA. Como exemplos, no distrito postal do norte de Ohio, as taxas de entrega no prazo caíram para 63,60% em meados de agosto. No distrito postal de Detroit, a entrega no prazo caiu para 61,01% no mesmo mês.

Termos relacionados Internacional
(...)