Está aqui

“Seria uma enorme desilusão para todo o país se o PS fosse ceder aos lóbis do costume”

Catarina Martins estranha que o PS tenha avocado para nova votação na segunda-feira a medida aprovada de combate às rendas excessivas da energia e aponta: “das duas uma, ou é para dar visibilidade a uma conquista tão importante em nome de todo o país ou é para voltar atrás com a sua palavra, o que seria uma enorme desilusão”.
“Há cada vez mais mulheres que compreendem a necessidade da luta feminista”, declarou Catarina Martins na manifestação pelo fim da violência contra as mulheres em Lisboa – Foto de Paulete Matos
“Há cada vez mais mulheres que compreendem a necessidade da luta feminista”, declarou Catarina Martins na manifestação pelo fim da violência contra as mulheres em Lisboa – Foto de Paulete Matos

Em declarações à comunicação social, à margem da manifestação pelo fim da violência contra as mulheres, a coordenadora do Bloco de Esquerda falou sobre a medida de combate às rendas excessivas da energia, proposta pelo Bloco de Esquerda e aprovada nesta sexta-feira no parlamento pelos votos favoráveis de Bloco, PCP e PS, a abstenção do PSD e o voto contra do CDS, e pronunciou-se sobre o facto de o Partido Socialista ter avocado a proposta para que seja votada de novo na segunda-feira.

“O Bloco de Esquerda acordou com o governo uma medida de especialidade no orçamento para combater as rendas excessivas das elétricas e, com isso, baixar a conta da luz para toda a gente no nosso país”, disse a coordenadora bloquista.

“Foi uma enorme conquista, no dia de ontem na votação de especialidade, que foi aprovada com os votos do PS, tal como estava acordado”, salientou Catarina Martins, sublinhando que se trata de uma medida muito importante, “que tira rendas excessivas à EDP para baixar a tarifa da luz para todas as famílias e para todas as empresas, para toda a economia”.

A coordenadora bloquista refere no entanto a surpresa, pelo PS ter avocado a medida para nova votação.

“Fomos surpreendidos ao final do dia pelo facto de o PS ter avocado a medida para segunda-feira, para ir a votação uma segunda vez. E, das duas uma: ou o PS avocou a medida para ser votada novamente na segunda-feira, porque, reconhecendo a importância da medida de colocar a luz mais barata para toda a gente no nosso país ao mesmo tempo que combate as rendas excessivas da EDP, quer explicar a medida e dar visibilidade a esta decisão tão importante; ou porque o PS quer voltar atrás na sua palavra e não quer afinal esta medida tão importante, de tirar rendas excessivas à EDP para dar luz mais barata, energia mais barata, a todo o país”.

“Seria uma enorme desilusão para todo o país se o PS na segunda-feira fosse ceder aos lóbis do costume em vez de escolher os portugueses, em vez de escolher quem aqui vive, em vez de escolher baixar a conta da luz para toda a gente”, concluiu Catarina Martins.

A coordenadora do Bloco de Esquerda participou na manifestação pelo fim da violência contra as mulheres em Lisboa, denunciou que “a desigualdade abate-se sobre metade da população em Portugal” e afirmou que acha que “há cada vez mais mulheres que compreendem a necessidade da luta feminista”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)