Está aqui

Portland: os feds de Trump saíram, os protestos continuam pacificamente

Sexta-feira, em Portland, não houve gás lacrimogéneo, detenções ou confrontos significativos. Mas os protestos do Black Lives Matter continuaram. A diferença foi que os agentes federais enviados por Trump começaram a retirar-se na sequência de um acordo entre o governo federal e a governadora democrata do Oregon, Kate Brown.
Manifestantes à porta do edifício federal onde tem havido confrontos com os agentes enviados por Trump. Foto de ETIENNE LAURENT/EPA/Lusa.
Manifestantes à porta do edifício federal onde tem havido confrontos com os agentes enviados por Trump. Foto de ETIENNE LAURENT/EPA/Lusa.

O tribunal federal em Portland tinha sido o epicentro dos confrontos e das manifestações desde o início de julho, quando Trump decidiu, contra o parecer das autoridades locais, enviar membros de várias agências federais intervir contra as manifestações. Estes foram acusados de agir sem identificação, fazer detenções ilegais e carregar violentamente sobre manifestantes pacíficos.

O início da sua retirada, na sequência de um acordo entre o governo federal e a governadora democrata do Oregon, Kate Brown, mudou o cenário. À porta do tribunal federal houve vários milhares de manifestantes pacíficos mas este passou a ser apenas mais um dos locais da cidade onde houve protestos pela justiça racial.

Por exemplo, num parque da cidade, um grupo de “bombeiros pelo Black Lives Matter” fez uma concentração. Foi organizada uma marcha de “trabalhadores desempregados pelas vidas negras”. E, no Waterfront Park, um memorial improvisado, com as fotografias e nomes de pessoas negras mortas pela polícia, foi construído e mais de mil pessoas aí se reuniu gritando que as vidas negras são importantes e o nome de cada uma das vítimas de violência policial.

A governadora descreveu a situação na sua conta do Twitter: “a noite passada, o mundo estava de olhos postos em Portland. Aqui está o que viram: as tropas federais saíram do centro da cidade, os agentes locais protegeram a liberdade de expressão e os habitantes do Oregon ergueram as suas vozes pelo Black Lives Matter, a justiça racial e prestação de contas da polícia, através de um protesto pacífico, não-violento”.

Também no Twitter, o tom do presidente norte-americano não destoou do costume: escreveu que o Departamento de Segurança Interna “ não sairá de Portland até que a polícia local complete a limpeza de Anarquistas e Agitadores”. Isto porque a retirada dos agentes federais não é imediata nem total. Sairão por fases e “manter-se-ão alerta” segundo o acordo entre ambas as partes.

Brown anunciou ainda a criação de um Conselho de Justiça Racial com o objetivo de apresentar propostas de reforma na justiça criminal, de reforço da prestação de contas das polícias, igualdade no acesso à saúde, habitação e justiça ambiental e de “examinar e começar a desmantelar as políticas racistas que criaram graves disparidade em virtualmente todas as partes da nossa sociedade”.

Termos relacionados Internacional
(...)