Está aqui

Plásticos: A história de uma crise ecológica

300 milhões de toneladas de plástico são vendidas a cada ano, e, dessas, 90% vai parar ao lixo, acabando em aterros sanitários, nos oceanos e nos nossos corpos. A EcoWatch reuniu uma breve história do problema e do esforço crescente para combatê-lo. Por Olivia Rosane.

A Earth Day Network anunciou que o Dia da Terra deste ano, celebrado no domingo, 22 de abril, concentrar-se-á em acabar com a poluição por plástico no Dia da Terra de 2020, o 50º aniversário do primeiro Dia da Terra do mundo, assinalado em 1970, e que levou à criação da Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos e à aprovação das Leis sobre Águas Limpas, Ar Limpo e Espécies Ameaçadas.

Agora, a Earth Day Network procura permanecer fiel ao seu legado, iniciando outro grande trabalho de limpeza. Como a Earth Day Network aponta na sua petição para acabar com a poluição do plástico, 300 milhões de toneladas de plástico são vendidas a cada ano, e, dessas, 90% vai parar ao lixo, acabando em aterros sanitários, nos oceanos e nos nossos corpos.

Em homenagem a esse objetivo, a EcoWatch reuniu uma breve história do problema e do esforço crescente para combatê-lo.

Poluição Plástica: Uma História

1862: Alexander Parkes apresenta o primeiro plástico feito pelo homem na Grande Exposição Internacional de Londres. Parkesine, como o apelidou, foi feito de celulose.

1907: Leo Baekeland desenvolve a Baquelite, o primeiro plástico sintético à base de combustível fóssil feito de fenol (um resíduo de carvão) e formaldeído.


Um telefone feito de baquelite, o primeiro plástico sintético. Tangerineduel

1946: A primeira Exposição Nacional de Plásticos é inaugurada em Nova Iorque para mostrar todas as utilizações domésticas dos plásticos desenvolvidos no âmbito da Segunda Guerra Mundial. Durante a guerra, a produção de plástico aumentou quase quatro vezes.

Início da década de 1970: relatos publicados na Science sobre a prevalência de grânulos de plástico no Atlântico Norte levam a mais investigações sobre a prevalência de plástico no fundo do mar e o seu impacto sobre os animais marinhos.

1979: São introduzidos nos EUA sacos de plásticos de supermercados.

1980: Woodbury, Nova Jersey, torna-se a primeira cidade dos EUA a adotar um programa de reciclagem após campanhas de consciencialização sobre o lixo nas décadas de 1960 e 1970.


Um cartaz de reciclagem dos anos 1970. Biblioteca do Congresso.

Anos 90: Começa a utilização generalizada de micro-esferas de plástico em cosméticos começa.


Microbeads.

1997: Quando navegava para Los Angeles, Charles Moore descobre a Great Pacific Garbage Patch, a maior coleção de lixo flutuante do mundo.

2002: O Bangladesh torna-se no primeiro país a banir os sacos de plástico depois de descobrir que estes bloquearam os esgotos durante uma inundação severa.

2007: San Francisco torna-se a primeira cidade dos EUA a instituir uma proibição de sacos de plásticos.

2008: Um estudo do governo confirma que o Bisfenol A, um produto químico utilizado para fabricar garrafas plásticas duras e o revestimento de latas de comida para bebés, pode aumentar os riscos de puberdade precoce, cancro da mama, problemas de próstata e problemas comportamentais.

2014: A Holanda torna-se o primeiro país a proibir microesferas em cosméticos.

2017: O Blue Planet II da BBC aumenta a preocupação mundial com os plásticos oceânicos, com imagens impressionantes de como os mesmos afetam os animais do oceano.


Um cadáver de albatroz cheio de plástico. Chris Jordan / Sede do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA / CC BY 2.0.

2018: A Earth Day Network foca o Dia da Terra no fim da poluição por plásticos até 2020.


Artigo publicado em EcoWatch.

 

Termos relacionados Ambiente
(...)