Está aqui

Palombar faz vigilância de incêndios no vale do Sabor

A associação ambiental, que intervém principalmente em Trás-os-Montes e tem vindo a expandir a sua área de atuação, garante uma equipa de vigilância de incêndios no vale do rio, durante os meses de julho, agosto e setembro. Artigo publicado em Interior do Avesso.
Torre de vigilância de incêndios em território do vale do rio Sabor - Fotografia de Fábio Nogueira/Palombar
Torre de vigilância de incêndios em território do vale do rio Sabor - Fotografia de Fábio Nogueira/Palombar

As ações desenvolvidas pela Palombar – Conservação da Natureza e do Património Rural no âmbito do Nordeste – Grupo para a Promoção do Desenvolvimento Sustentável incluem uma intervenção absolutamente fundamental para a proteção das florestas, da biodiversidade, dos ecossistemas e das comunidades: a vigilância de incêndios. Vigiar para prevenir é a arma mais eficaz para combater os incêndios que, todos os anos, fustigam centenas de hectares das nossas florestas.

Os incêndios contribuem fortemente para a destruição de espécies de fauna e flora, afetando gravemente a biodiversidade, bem como para a degradação dos solos e para o processo de desertificação e seca no país, para além dos graves prejuízos sócio-económicos que gera.

Um estudo do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) publicado no dia 19 de junho alerta que, no que se refere às ações humanas, o uso de agroquímicos, o desordenamento do território e os incêndios estão a acelerar os fenómenos de seca e desertificação em Portugal.

As ações de vigilância de incêndios no território permitem detetar focos de incêndio nascentes, assegurando um combate mais rápido e eficaz, bem como comportamentos de risco e suspeitos. Têm ainda um efeito dissuasor relativamente a práticas e comportamentos desencadeadores de incêndios.

O Grupo Nordeste é constituído pela Palombar, pela AEPGA – Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino e pela APFNT – Associação dos Produtores Florestais do Nordeste Transmontano.

Tem como objetivo dar vida a um modelo de intervenção que, unindo a conservação da Natureza à agricultura e à exploração florestal sustentável, promova o envolvimento das comunidades locais e dinamize o desenvolvimento integrado do espaço rural nos vales dos rios Sabor e Maçãs, que estão inseridos na Zona de Proteção Especial (ZPE) Rios Sabor e Maças.

Saiba mais sobre como prevenir incêndios florestais em www.portugalchama.pt.

Artigo publicado em Interior do Avesso a 7 de agosto de 2020

Termos relacionados Ambiente
(...)