Está aqui

Moisés Ferreira: Quem defende o SNS deve apoiar a greve dos médicos

Deputado bloquista manifestou o seu apoio à greve dos médicos. Bloco chama ministro da Saúde ao parlamento, que acusa de “empurrar as negociações com a barriga para não as concluir”.
Fotografia de Paulete Matos.

Moisés Ferreira marcou presença esta tarde na concentração dos médicos, em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa. 

Em declarações aos jornalistas, deixou “palavras de apreço aos profissionais e aos utentes”. Referindo-se aos “médicos, enfermeiros, TSDT’s e assistentes operacionais e técnicos”, realçou que “são quem aguenta o Serviço Nacional de Saúde” e que, “apesar da falta de investimento”, garantem “que os utentes têm os cuidados de saúde de que necessitam”.

Em relação aos utentes, assinalou que o Bloco compreende que “estes dias de greve trazem consequências, adiamento de consultas e cirurgias programadas”, mas o que “está a acontecer nestes três dias de greve é em defesa dos utentes e do seu acesso à saúde”.

“Quem defende o SNS deve estar aqui em apoio a esta greve e a esta manifestação”, defendeu.

Moisés Ferreira aponta o dedo a Adalberto Campos Fernandes por não valorizar estes profissionais e por estar “empurrar as negociações com a barriga para não as concluir”. Por esse motivo, explica, “o Bloco de Esquerda apresentou hoje mesmo um requerimento urgente para ouvir o ministro da Saúde na Comissão de Saúde”.

“O ministro tem de explicar o porquê de nenhuma destas negociações estar a ser concluída e o porquê de não aceitar as propostas e reivindicações de melhoria das condições de trabalho no Serviço Nacional de Saúde”, assevera Moisés Ferreira.

“Tem ainda de explicar ao parlamento a razão pela qual não está a fazer o investimento necessário quando, materialmente, tinha recursos para fazer muito mais do que está a fazer”, fundamentam ainda os bloquistas no requerimento entregue na Assembleia da República.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)