Está aqui

As marcas preocupantes dos pneus na floresta cambojana

Um estudo publicado esta segunda-feira na revista Nature mostra a ligação entre o preço da borracha e o ritmo da destruição da floresta no Camboja.
Foto de Association Gadel lot/Flickr

A procura mundial de borracha aumentou a partir de meados dos anos 2000, impulsionada sobretudo pelo crescimento da indústria automóvel chinesa. Este aumento tem consequências pesadas. A floresta tropical do Camboja está a desaparecer ao exato ritmo desse aumento de procura.

Kenneth Grogan e um grupo de investigadores da Universidade de Copenhaga utilizaram imagens de satélite para irem analisando a área de floresta destruída para cultivo de borracha e de óleo de palma e concluíram que, entre 2001 e 2015, 23,5% da floresta foi destruída, mais de 2,2 milhões de hectares, grande parte desta foi destruída para cultivo de uma espécie não nativa de borracha, a Hevea brasiliensis.

No estudo, “Desvendando a ligação entre os preços globais da borracha e desflorestação tropical no Camboja”, a equipa concluiu a existência de uma forte correlação entre a taxa de destruição da floresta e o valor de mercado da borracha. A continuar assim, as florestas do Camboja vão continuar a diminuir drasticamente.

Termos relacionados Ambiente
(...)