Manifestação em Lisboa: Crime racista não ficou sem resposta

15 de julho 2018 - 11:54

Na passada sexta-feira, centenas de pessoas juntaram-se de forma a dizerem que os crimes racistas não podem ficar impunes. Cerca de dez elementos do PNR tentaram boicotar manifestação, mas ninguém lhes deu espaço.

PARTILHAR
A manifestação foi organizada pelos grupos Consciência Negra, SOS Racismo, Djass — Associação de Afrodescendentes, Radio Afrolis e Plataforma Gueto.
A manifestação foi organizada pelos grupos Consciência Negra, SOS Racismo, Djass — Associação de Afrodescendentes, Radio Afrolis e Plataforma Gueto.

Diziam querer “reconquistar o que é nosso”, mas ninguém lhes prestou muita atenção. Os manifestantes gritaram “Fascistas não passarão, racistas não passarão”, depois viraram-lhes as costas. O PNR tinha feito um apelo para um boicote à manifestação no Largo de São Domingues, mas apenas uma dezena foi mobilizada.

A manifestação contra o racismo foi organizada na sequência das agressões a Nicol Quinayas, na noite de São João, no Porto, por um segurança da empresa 2045, que fiscaliza os autocarros da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto. Foi uma iniciativa dos grupos Consciência Negra, SOS Racismo, Djass — Associação de Afrodescendentes, Radio Afrolis e Plataforma Gueto.