Está aqui

Los Angeles: dezenas de milhares de professores em greve

Professores de Los Angeles reclamam diminuição de turmas, reforço de bibliotecas e outros serviços de apoio, aumentos salariais, e fim do desvio de recursos para escolas privadas. Arrastar das negociações por mais de um ano e meio levou à greve.
Wilson Pumpernickel/Flickr

Mais de 30 mil professores estão em greve desde segunda-feira passada no distrito escolar de Los Angeles, o segundo maior dos EUA, com mais de 600 mil alunos. É a sétima greve de professores no país no último ano, numa vaga de lutas sindicais alimentada por vitórias anteriores em estados como a Virginia Ocidental, Oklahoma ou o Arizona. Ao segundo dia de greve, segundo um artigo do site The Intercept, apesar dos esforços das autoridades para manter as escolas abertas, cerca de 360 mil alunos não se encontravam nas escolas, "à medida que as famílias retinham as suas crianças em casa em solidariedade com os professores, ou para as protegerem do caos de uma escola sem pessoal".

As organizações de professores reclamam uma diminuição do tamanho das turmas, um aumento salarial de 6%, e o reforço de bibliotecas e pessoal auxiliar, entre outros. Queixas motivadas por anos de cortes no financiamento que colocam a Califórnia, uma das regiões mais ricas dos EUA e do mundo, no lugar 43 entre 50 estados dos EUA na lista de despesas por aluno. O tamanho das turmas é uma queixa crescente e recorrente ao longo dos anos: muitos professores debatem-se no ensino secundário com turmas de 45 e mais alunos, e turmas de 35 e mais alunos nos níveis anteriores ao secundário. As negociações entre as autoridades do Los Angeles Unified School District e os sindicatos arrastam-se desde abril de 2017, tendo após quase dois anos chegado a um impasse no final do ano passado em torno destas medidas.

Os professores californianos reclamam também contra a privatização encapotada das escolas através do desvio de recursos para as charter schools, escolas privadas com financiamento público na lógica do cheque-ensino. O distrito escolar de LA tem o maior número de escolas deste tipo em todo o país (224).

Ao contrário das greves anteriores noutros estados, que opuseram professores a administrações republicanas abertamente hostis às suas reivindicações, em Los Angeles os professores enfrentam um partido Democrata igualmente responsável por décadas de desinvestimento na educação pública e favorecimento dos privados, mas sujeito a pressões em sentido contrário das suas bases, do movimento sindical, e de uma geração insurgente de políticos em ascensão. Deputados e senadores como Kamala Harris, Alexandria Ocasio-Cortez ou Bernie Sanders manifestaram-se solidários com a sua luta. Também Steven Van Zandt, guitarrista da banda de Bruce Springsteen conhecido pela sua participação na série "Os Sopranos", fez questão de desfilar na rua com os professores.

Termos relacionados Internacional
(...)