Está aqui

Legalização da canábis entrou em vigor no Illinois

O ano começou com longas filas à porta dos dispensários em Chicago e outras cidades do estado norte-americano do Illinois. Lojas registaram mais de 77 mil vendas, incluindo um pacote de gomas com canábis para a vice-governadora.
Edie Moore, a diretora executiva da ONG Norml em Chicago, faz a primeira compra no primeiro dia da legalização da canábis para uso recreativo no dispensário Mission, em Chicago. Foto Taylor Glascock/Leafly

Entrou em vigor no início de 2020 a legalização da canábis para fins recreativos no estado norte-americano do Illinois, que assim se torna o 11º estado com canábis legal. A partir de 1 de janeiro, um em cada três adultos norte-americanos vive agora num estado onde a canábis é legal para uso pessoal, apesar da proibição se manter a nível federal.

Tal como aconteceu noutros estados, milhares de pessoas quiseram ser testemunhas do dia 1 da legalização da canábis. O cenário das filas de centenas de compradores ainda de madrugada à porta dos dispensários repetiu-se e o dia chegou ao fim com mais de 77 mil transações nas 37 lojas com licença do Estado e números totais de vendas a rondar os 3.2 milhões de dólares.

“As vendas foram boas, mas não vamos perder o foco no impacto que isto terá para as famílias deste estado”, afirmou Toi Hutchinson, o principal consultor do governo do Illinois para a regulação da canábis. “O que é fantástico é vermos que uma parte significativa destes dólares vão diretamente para um fundo de reinvestimento que nos permitirá continuar a reconstruir as comunidades mais afetadas pela guerra às drogas”, prosseguiu em declarações à CBS.

Também o governador democrata J.B. Pritzker assinalou o primeiro dia da legalização com a emissão de um perdão a mais de 11 mil condenados por crimes menores ligados à canábis. Este perdão abre caminho a que esses crimes sejam limpos do cadastro dessas pessoas e deixem de ser um entrave para a sua vida pessoal e profissional. Ao todo, calcula-se que quase 800 mil pessoas possam ver retiradas as condenações por aquisição ou posse até 30 gramas de canábis.

Quem fez questão de ficar na fila até ser atendida foi a vice-governadora Juliana Stratton. “Não é só um novo ano, é um novo dia”, afirmou no Twitter, recordando que há demasiado tempo que os habitantes do Illinois, em em particular as comunidades negras e hispânicas “têm sido alvo e criminalizadas por posse de canábis”, um cenário que o seu governo pretende reverter com medidas de reparação. Chegada ao balcão, Stratton optou por comprar uma saqueta de gomas canábicas com sabor a laranja.

 

Termos relacionados Internacional
(...)