Krugman: Eurogrupo empurra a Grécia para o abismo

17 de fevereiro 2015 - 11:00

Para o economista, ou os ministros do Eurogrupo enlouqueceram ou decidiram empurrar a Grécia para o abismo, de forma a servir de lição a outros que a queiram imitar. “De uma forma ou de outra, a falta de sabedoria é espantosa e esmagadora”.

PARTILHAR
Krugman: "Acho que é possível que sejam loucos". Foto de Cory Doctorow
Krugman: "Acho que é possível que sejam loucos". Foto de Cory Doctorow

Esta é a tradução da nota de Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia de 2008, no seu blog do New York Times:

Athenae Delenda Est

OK, isto é espantoso, e não num bom sentido. As conversações da Grécia com os ministros das Finanças acabaram devido a este rascunho de declaração, que os gregos descreveram como “absurdo”. É certamente notável. Pela minha leitura, esta é a frase chave:

“As autoridades gregas comprometem-se a assegurar superavits primários e financiamento adequados, a fim de garantir a sustentabilidade da dívida em linha com as metas acordadas em novembro de 2012. Para além disso, quaisquer novas medidas deverão ser financiadas e não colocar em risco a estabilidade financeira”.

Tradução (se olharmos para a declaração do Eurogrupo): nenhuma alteração ao superavit primário de 4,5% do PIB.

Não havia qualquer possibilidade de que Tsipras e companhia assinassem esta declaração, que nos faz questionar se os ministros do Eurogrupo sabem o que estão a fazer.

Acho que é possível que sejam loucos – que não compreendem que a Grécia de 2015 não é a Irlanda de 2010, e que este tipo de pressão não funciona.

Em alternativa, e creio que é o mais provável, decidiram empurrar a Grécia para o abismo. Em vez de darem algum espaço, preferem ver a Grécia forçada ao default e provavelmente a sair do Euro, com os previsíveis estragos económicos a servirem de lição a qualquer outro que esteja a pensar em pedir um alívio. Quer dizer: estão a preparar-se para impor o equivalente económico da “Paz Cartaginesa” que a França pensou impor à Alemanha depois da Primeira Guerra Mundial.

De uma forma ou de outra, a falta de sabedoria é espantosa e esmagadora.

Tradução de Luis Leiria para o Esquerda.net