Está aqui

Início do Maio de 68 na Sorbonne

A 3 de maio de 1968, o reitor da Sorbonne, em Paris, chama a polícia para interromper uma assembleia estudantil e expulsar os estudantes. As manifestações ampliam-se, centenas de estudantes são presos e surgem as primeiras barricadas. Por Carlos Santos
3 de maio de 1968 - estudantes enfrentam os CRS, a polícia de choque francesa
3 de maio de 1968 - estudantes enfrentam os CRS, a polícia de choque francesa

Há 50 anos, em 3 de maio de 1968, decorria uma reunião de estudantes na Sorbonne, que reivindicavam o acesso aos anfiteatros. A revolta estudantil em França, e um pouco por muitos países da Europa, já se prolongava há quase dois meses.

O reitor da Sorbonne1 (Universidade de Paris e uma das mais antigas e prestigiadas da Europa), Jean Roche, decide chamar a polícia, uma medida inédita que viola uma regra muito antiga.

A polícia interrompe a assembleia, expulsa mais de 500 pessoas e fecha as instalações da Sorbonne. Muitos estudantes são identificados e detidos.

Os estudantes da Universidade de Nanterre marcham para a Sorbonne e concentram-se no Quartier Latin2. As manifestações prolongam-se ao longo do dia e da noite e ampliam-se sob a palavra de ordem “Libérez nos camarades!” (“Libertem os nossos camaradas!”).

Os confrontos com a polícia multiplicam-se, os estudantes respondem às cargas policiais e ao gás lacrimogéneo da polícia de choque3 com pedras (os famosos pavés – paralelepípedos). À noite, no Boulevard Saint-Michel, é erguida a primeira barricada.

A revolta vai ampliar-se primeiro em múltiplas universidades e, posteriormente, vai chegar às fábricas e aos trabalhadores em geral, um pouco por toda a França. Os protestos vão igualmente radicalizar-se, com greves e múltiplas concentrações e manifestações.

A 13 de maio de 1968, o movimento de protesto chegará à greve geral, que até hoje “foi a maior greve geral da história social francesa”4. O Maio de 68 em França transforma-se assim numa crise social generalizada e numa revolta contra o regime gaullista francês.

O Maio de 68 em França é um ponto alto do ano de 1968, mas não é o único. O ano de 1968 é todo ele, um ponto de inflexão e uma revolta global, um pouco por todo o mundo.

Artigo de Carlos Santos para esquerda.net


Notas:

1 Uma das universidades de Paris, situada no Quartier Latin, e das mais antigas e prestigiadas universidades europeias. Ver https://fr.wikipedia.org/wiki/Sorbonne

2 Bairro Latino, tradicional e típico bairro de Paris, situado na margem esquerda do Sena e onde se situa a Sorbonne. Ver https://pt.wikipedia.org/wiki/Quartier_Latin

4 Ver artigo do esquerda.net “Não vamos enterrar o Maio de 68”

Sobre o/a autor(a)

Coordenador do esquerda.net Ativista do Bloco de Esquerda.
Termos relacionados 1968 – 50 anos depois, Cultura
(...)