Está aqui

Escócia: SNP vence eleições regionais e promete novo referendo pela independência

Com 64 deputados eleitos, são as quartas eleições consecutivas que o partido vence sob a liderança de Nicola Sturgeon. A primeira-ministra quer um novo referendo para sair do Reino Unido.
“Se o povo da Escócia vota por uma maioria pró-independência no parlamento escocês, nenhum político tem o direito de se lhe opôr”, disse ainda a primeira-ministra.
“Se o povo da Escócia vota por uma maioria pró-independência no parlamento escocês, nenhum político tem o direito de se lhe opôr”, disse ainda a primeira-ministra. Foto de Robert Perry, via EPA/Lusa.

A apenas um deputado da maioria absoluta, a vitória de Nicola Sturgeon e do SNP (Scottish National Party, de centro-esquerda) é inequívoca. Com 64 deputados eleitos para Holyrood (parlamento da Escócia), o SNP tem uma maioria confortável face seja aos Scottish Conservatives, com 31 deputados, ou o próprio Labour, que perdeu dois deputados para um total de 22 (os piores resultados do partido na região desde o processo de devolução democrática em 1999). Os Scottish Greens, por sua vez, aumentaram de 6 para 8 deputados, e os Liberal Democrats perdem um, para um total de 4.

Durante a campanha, a primeira-ministra da Escócia prometeu avançar com um segundo referendo à independência da região face ao Reino Unido, algo que teria de ser primeiro aceite pelo governo de Boris Johnson, em Londres.

No discurso de vitória, Nicola Sturgeon afirmou que os eleitores da Escócia deram um mandato claro a Holyrood, elegendo uma maioria pró-independência mais extensa do que nas eleições de 2016. Face a estes resultados, qualquer tentativa do governo do Reino Unido de bloquear o referendo seria anti-democrático.

“Se os Tories tentarem impedir, demonstrarão conclusivamente que o Reino Unido não é uma parceria entre iguais e que, surpreendentemente, Westminster já não vê o Reino Unido como uma união voluntária de nações. Isso em si próprio seria o argumento mais forte para a Escócia se tornar num país independente”, disse a primeira-ministra em declarações relatadas pelo The Guardian.

Se Boris Johnson não aceitar o referendo, o governo escocês “irá para os tribunais”, disse ainda Nicola Sturgeon, o que obrigaria a que o governo do Reino Unido pedisse ao supremo tribunal do Reino Unido para impedir a iniciativa, arriscando o aumento de apoio popular ao movimento independentista.

“Se o povo da Escócia vota por uma maioria pró-independência no parlamento escocês, nenhum político tem o direito de se lhe opôr”, disse ainda a primeira-ministra.

Termos relacionados Internacional
(...)