Está aqui

Escócia: Multidão obriga polícia a soltar imigrantes que iam ser expulsos

Dois homens foram detidos numa carrinha policial, acusados de imigração ilegal. Os vizinhos manifestaram-se e não deixaram a carrinha partir. A polícia acabou por deixá-los sair em liberdade.
Momento em que os dois homens são libertados. Foto do Twitter.
Momento em que os dois homens são libertados. Foto do Twitter.

Dois imigrantes indianos foram detidos na manhã desta quinta-feira em Kenmure Steet, Glasgow, e levados para uma carrinha dos Serviços de Imigração do Ministério do Interior. Segundo a polícia mais tarde informou, por serem “suspeitos de crimes de imigração”.

Quem não os via como criminosos eram os seus vizinhos, que saíram à rua em sua defesa. Cercaram a carrinha e não a deixaram abandonar o local. Segundo a BBC, juntaram-se centenas de pessoas em auxílio dos dois migrantes com as palavras de ordem “deixem os nossos vizinhos sair” e "refugiados são bem-vindos aqui". Um dos manifestantes colocou-se até debaixo da carrinha, impedindo assim que esta se movesse.

O impasse só acabou quando Mark Sutherland, chefe da polícia, anunciou que seriam libertados “de forma a proteger a segurança, saúde pública e bem-estar de todas as pessoas envolvidas”. A polícia esclareceu ainda que não esteve envolvida na detenção da responsabilidade dos serviços de Imigração britânicos.

O caso ganhou ainda envergadura política ao mais alto nível porque a representante eleita para o Parlamento Escocês por aquele círculo eleitoral é a primeira-ministra Nicola Sturgeon. E porque esta criticou a ação dos serviços de imigração como “inaceitável” e “um risco de saúde e segurança” acrescido, numa altura em que “a comunidade muçulmana celebra o Eid e a área está a passar por um surto de Covid”. Para além disso, sublinhou o seu “desacordo fundamental com a política de imigração do Ministério do Interior do Reino Unido”.

Sturgeon disse que se iria dirigir ao governo britânico de forma a obter garantias “de que não voltarão a criar, através das suas ações, uma situação tão perigosa”. E aproveitou para deixar uma alfinetada independentista: “Estou orgulhosa de representar um círculo eleitoral e de liderar um país que acolhe bem e mostra apoio aos requerentes de asilo e aos refugiados. O dia em que a política de imigração vai passar a ser responsabilidade do Parlamento Escocês não tarda em chegar.”

 

Termos relacionados Internacional
(...)