Está aqui

Despedimento coletivo na TVI é “imoral e injusto”, denuncia sindicato

Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações e Comunicações Audiovisuais teve conhecimento de que o grupo Media Capital está a recorrer a uma argumentação “falaciosa e enganadora” para avançar com um despedimento coletivo que abrange 12 trabalhadores da TVI.
TVI - Foto António Cotrim/Lusa (arquivo)

Em comunicado, a estrutura sindical enfatiza que, “caso não seja revertido, este ato imoral e injusto será concretizado na última semana de janeiro de 2024, com as drásticas consequências em profissionais de excelência”.

O Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações e Comunicações Audiovisuais (STT) escreve que a argumentação utilizada para justificar o despedimento coletivo de 12 trabalhadores da TVI é “falaciosa e enganadora”, baseando-se “na perda de receita em publicidade desde a Covid-19 e conjuntura económica desfavorável com prejuízos acumulados devido à guerra na Ucrânia e reorganização interna no Grupo Media Capital”.

O STT frisa que estes argumentos contrastam com a “realidade e os discursos dos responsáveis da empresa nas ‘passadeiras vermelhas’”.

De acordo com a estrutura sindical, “o presente procedimento de despedimento coletivo abrange ‘somente’ trabalhadores com funções que dizem ter sido transferidas para a EMAV em 2022”, o que levanta “muitas dúvidas quanto à legalidade deste despedimento coletivo pois, efetivamente, trata-se de uma perseguição e uma punição aos trabalhadores que não aceitaram a cessação do contrato de trabalho com a TVI e a sua passagem para a EMAV (empresa do Grupo Media Capital)”.

O STT aponta que a Administração da Media Capital e os seus acionistas, “não olham a meios para atingir os fins e avançaram com este ‘rolo compressor’ que é o despedimento coletivo para intimidar todos, isto depois da grande mobilização dos trabalhadores da TVI em torno dos aumentos salariais/2023 que inclusive levou ao agendamento de uma greve geral”.

O sindicato informa ainda que “vai enviar pedidos de audiências aos grupos parlamentares, pedir a Solidariedade da CGTP e Sindicatos do Movimento Sindical Unitário e denunciar publicamente este ‘atentado’ contra 12 trabalhadores”.

“O STT está atento a todo este processo e não desiste de Lutar até que o despedimento coletivo seja anulado”, garante a estrutura sindical. Caso seja necessário, o STT irá promover uma vigília junto à Media Capital “para denunciar este despedimento de forma pública e mediática”.

Termos relacionados Despedimento, Media Group, TVI, Sociedade
(...)