Está aqui

Bloco questiona Governo sobre salários em atraso na Ambiente & Jardim

Esta quarta-feira, os trabalhadores da limpeza dos comboios da CP e estações ferroviárias da IP fizeram mais um piquete de greve em Lisboa e Porto.
9 de junho de 2021 - Foto de Esquerda Net

Numa pergunta ao Ministério das Infraestruturas e da Habitação e ao Ministério do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda refere que “a administração da empresa Ambiente & Jardim, com sede em Sacavém, não pagou os salários de maio a centenas de trabalhadores e trabalhadoras. Estes profissionais asseguram as funções de limpeza e desinfeção dos comboios da CP - Comboios de Portugal e das estações ferroviárias da IP - Infraestruturas de Portugal”.

Segundo informações recolhidas pelo Bloco junto dos trabalhadores afetados, “os responsáveis da empresa, além de estarem em falta com o pagamento dos salários, não respondem aos contactos dos funcionários com vista à regularização da situação, deixando estes e estas profissionais sem qualquer informação ou perspetiva”.

Para o partido, “estes trabalhadores desempenham funções essenciais para o funcionamento do transporte público ferroviário, ainda mais relevantes no atual contexto pandémico”. Os trabalhadores consideram esta situação como insustentável porque a falta de rendimentos já atinge o núcleo fundamental das suas obrigações e contexto familiar.

Na pergunta ao Governo, o Bloco afirma que “o Governo tem, pois, particular responsabilidade e dever de atuação sobre esta matéria. Desde logo, porque se trata de um claro abuso patronal, com efeitos devastadores sobre os trabalhadores e as trabalhadoras, tratando-se de uma situação que reclama imediata ação da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT)”.

Esta empresa tem ainda um historial conhecido de incumprimento das suas obrigações, com vários casos de atraso no pagamento de salários e retenção de valores das contribuições para a Segurança Social.

Nas questões dirigidas aos ministérios, o Bloco quer saber se o Governo tem conhecimento desta situação e que diligências vão ser tomadas pela ACT para resolver o problema.

Entretanto, esta quarta-feira realizou-se mais um piquete de greve em Campanhã, no Porto, e em Santa Apolónia, em Lisboa. Estiveram presentes Sérgio Aires, candidato do Bloco à Câmara Municipal do Porto, e Isabel Pires e José Soeiro estiveram na ação de Lisboa.

Em declarações ao Esquerda.net, José Soeiro disse que “estes trabalhadores desempenham uma função essencial na desinfeção dos comboios. Sem o trabalho deles e delas não há comboios a circular”.

“Não se percebe quer a CP, quer o próprio Governo que tutela, que ainda não tenham intervindo”, sublinhou o deputado. E acrescentou que “obviamente se a empresa mantiver o incumprimento, tem de ser o próprio Estado a denunciar o contrato”.

Termos relacionados Política
(...)