Está aqui

Bloco insiste na necessidade de programa para a recuperação das aprendizagens

Esta segunda-feira teve início a terceira fase de desconfinamento, onde além da abertura de todas as lojas, cinemas e teatros, recomeçaram as aulas presenciais no ensino secundário e no ensino superior. Catarina Martins reafirmou a urgência de um programa para recuperar as aprendizagens.
Alunas e alunos à entrada da Escola Secundária de Albufeira, no dia do regresso às aulas do ensino secundário – Foto de Luís Forra/Lusa
Alunas e alunos à entrada da Escola Secundária de Albufeira, no dia do regresso às aulas do ensino secundário – Foto de Luís Forra/Lusa

Em declarações na conferência de imprensa do Encontro do Bloco de Esquerda com o Bloco Nacionalista Galego (BNG), Catarina Martins saudou o regresso presencial das aulas nos ensinos secundário e superior, fez votos de que o regresso seja bem sucedido e salientou a importância de se manter uma política de testes, de prosseguir a vacinação e de garantir que as escolas têm meios adequados para cumprir as regras de segurança e higiene.

A coordenadora bloquista defendeu a necessidade de se conhecer o programa do Governo para a recuperação das aprendizagens.

“É muito importante sabermos qual o programa do Governo para a recuperação das aprendizagens. E, aqui, o Bloco de Esquerda mantém três ideias fundamentais, nomeadamente que as escolas precisam de ter mais pessoal docente e não docente e de desdobrar turmas, de repensar as suas metas curriculares e programas depois de dois anos em que as desigualdades na aprendizagem aumentaram e de proporcionar às crianças e jovens férias de Verão”, afirmou Catarina Martins.

A coordenadora do Bloco salientou a importância de crianças e jovens terem férias com atividades culturais e desportivas, e lembrou que há uma semana apresentou um programa de medidas para recuperar aprendizagens dos alunos.

“O Bloco de Esquerda apresentou no Parlamento uma proposta no sentido de o Estado Central ajudar as câmaras a financiar programas de férias com desporto, cultura e atividades ao ar livre, que os meses de Verão proporcionam, para que haja retoma de socialização, prática desportiva e cultural, tão essencial à saúde mental e emocional de todos”, reafirmou.

Terceira fase de desconfinamento

Esta segunda-feira, 19 de abril, teve início a terceira fase de desconfinamento com o regresso das aulas presenciais no ensino secundário e no superior e a abertura de todas as lojas e centros comerciais; cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos; Lojas do Cidadão; restaurantes, cafés e pastelarias, mas com um máximo de quatro pessoas por mesa no interior do estabelecimento. As esplanadas passaram a ter uma lotação máxima de seis pessoas por mesa e o horário de encerramento passou para as 22 horas durante a semana, mantendo-se às 13h ao fim de semana.

Termos relacionados Política
(...)