Está aqui

Abandono do projeto da Feira Popular em Carnide é "inaceitável"

Bloco de Esquerda de Lisboa lembra que este equipamento serviria a população de Lisboa e não apenas os turistas. Se a ideia de Carlos Moedas avançar, as famílias e as crianças de Lisboa ficam com menos equipamentos e perde-se o investimento previsto de milhões, afirma a concelhia bloquista.
Foto de Jaime Silva, Flickr.

Em entrevista à Rádio Renascença nesta segunda-feira, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML) garantiu que vai abandonar o projeto para a construção da nova Feira Popular. De acordo com Carlos Moedas, equipamentos deste tipo no centro de cidade “não fazem o mesmo sentido que faziam no passado”.

A Feira Popular de Lisboa foi durante seis décadas uma referência para várias gerações de lisboetas que ali encontravam um espaço de diversão, lazer e festa. Em outubro de 2003 foi encerrada, fruto da enorme pressão imobiliária sobre os terrenos de Entrecampos.

Desde essa data, a capital do país ficou sem um espaço de diversão com a escala e as características da Feira Popular de Lisboa. Em 2016, Fernando Medina anunciou o lançamento da primeira pedra da nova Feira Popular e que o projeto implicaria um investimento de 70 milhões.

Segundo o Bloco de Esquerda de Lisboa, este equipamento, pelas suas características, serviria a população de Lisboa e não apenas os turistas, pelo que se a ideia de Carlos Moedas avança,r as famílias e as crianças de Lisboa ficam com menos equipamentos e perdem-se os milhões que se previam de investimento.

Neste contexto, para a concelhia bloquista de Lisboa, as declarações do Presidente da CML devem-se ao facto de o autarca ter desistido de governar para quem aqui vive, concentrando-se apenas no turismo e no imobiliário.

O Bloco de Esquerda sempre defendeu que a Feira Popular devia voltar a estar integrada num espaço requalificado que conciliaria um grande parque urbano com área de diversões populares, da mesma forma que o partido sempre criticou a falta de clareza do PS sobre o formato e envolvimento de privados.

Ao contrário do abandono do projeto da Feira Popular em Carnide, o Bloco considera que este devia ser o momento de recriar a Feira Popular com zona de divertimentos e um grande parque urbano aberto ao público, com boa oferta de transportes públicos. Nesse sentido, apresentará propostas na CML e Assembleia Municipal de Lisboa para que a cidade não perca a Feira Popular e questionará Carlos Moedas sobre o destino que dará àqueles terrenos em Carnide.

Termos relacionados Política
(...)