You are here

“É preciso tomar opções decisivas para impedir negócio Altice-Media Capital”

"Não é coisa pouca a liberdade de informação e de comunicação, é um pilar essencial da democracia e, portanto, é preciso tomar opções decisivas para impedir esta concentração”, defendeu Catarina Martins, referindo-se à compra da Media Capital, dona da TVI, pela Altice.
“É preciso tomar opções decisivas para impedir negócio Altice-Media Capital”
Foto de António Pedro Santos/ EPA/ LUSA.

Em declarações aos jornalistas, este domingo, à margem de uma visita a Beja, a Coordenadora do Bloco de Esquerda defendeu a necessidade de "opções decisivas" para "impedir" a compra da Media Capital, dona da TVI, pela Altice, que detém a PT/Meo, alegando que esse negócio implica "uma concentração" que "põe em causa a pluralidade da informação".

"Não é coisa pouca a liberdade de informação e de comunicação, é um pilar essencial da democracia e, portanto, é preciso tomar opções decisivas para impedir esta concentração", alegou Catarina Martins, citada pela Lusa.

Segundo Catarina Martins, o Bloco já o fez no passado, e não deixará de fazer novas propostas "para parar" a concentração nos media, o que considera "um ataque à democracia, porque é um ataque à liberdade de imprensa" em Portugal.

"Foi um tremendo erro entregar a TDT [Televisão Digital Terrestre] à PT [Portugal Telecom], foi um negócio danoso do interesse público. Foi um tremendo erro deixar que a PT fosse destruída e entregue à Altice. Aumentar o erro, permitindo que a Altice compre a TVI, a Plural, uma série de conteúdos, fazendo uma concentração na comunicação social, que põe em causa pluralidade da informação no nosso país, é verdadeiramente desastroso e não deve acontecer", defendeu em tom de alerta Catarina Martins.

Para a Coordenadora do Bloco, "é preciso perguntar como é que foi possível a Entidade Reguladora para a Comunicação Social [ERC] não ter tomado posição sobre o assunto quando o parecer dos serviços técnicos é que este negócio tinha de ser parado, porque era um perigo para a liberdade de informação e comunicação".

O Conselho Regulador da ERC não chegou a consenso sobre a operação de compra da Media Capital (dona da TVI) pela Altice (proprietária da PT/Meo), já que era necessário que os três membros estivessem de acordo.

Em setembro, a Anacom emitou um parecer não vinculativo que chumbou a aquisição da TVI pela Altice.

Termos relacionados Política
(...)