Está aqui

Portugal boicota inauguração da embaixada dos EUA em Jerusalém

Mais de metade dos 86 embaixadores e encarregados de negócios convidados para assistir à cerimónia, agendada para esta segunda-feira, declinaram a proposta. Decisão de Trump de mudar embaixada de Telavive para Jerusalém levantou um coro de críticas na comunidade internacional.
Netanyahu e Trump durante a visita a Jerusalém em maio de 2017. Foto MNE Israel/Flickr

De acordo com a agência Lusa, a maioria dos países europeus, incluindo Portugal, Itália, Espanha, Reino Unido e França e Itália não estarão presentes na cerimónia de inauguração da embaixada.

Em dezembro de 2017, o anúncio por parte de Donald Trump da mudança da embaixada norte-americana de Telavive para Jerusalém, reconhecendo de facto esta cidade como a capital israelita, originou um coro de críticas na comunidade internacional.

Em Portugal, a Assembleia da República aprovou um voto de condenação pelo reconhecimento de Jerusalém como capital do estado de Israel pelo presidente dos Estados Unidos da América, apresentado por Bloco, PAN e PS.

Durante a apresentação da iniciativa legislativa, a deputada bloquista Joana Mortágua acusou o presidente norte-americano de pretender “incendiar toda a região” e de pôr em causa “o bem mais precioso no Médio Oriente, que é a paz”.


Joana Mortágua: “Jerusalém terá sempre de fazer parte do processo de negociação de paz”


O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, também repudiou o anúncio de Trump: “O que nós criticamos na decisão norte-americana é o facto de ela ser tomada sem haver qualquer negociação em curso e muito menos sem haver qualquer entendimento sobre a solução dos dois Estados e sobre a redefinição do estatuto da cidade de Jerusalém”, frisou.

De acordo com Augusto Santos Silva, “o Governo português ficará extremamente feliz no dia em que puder reconhecer Jerusalém como a capital do Estado de Israel, transferindo a sua representação diplomática de Telavive para Jerusalém, porque esse será o exato dia em que Portugal poderá reconhecer Jerusalém como capital do Estado da Palestina e transferir a sua representação diplomática na Palestina de Ramallah para Jerusalém Oriental".

Roménia, Hungria, Áustria e República Checa são alguns dos países que confirmaram presença na cerimónia de inauguração da embaixada, que contará com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu. Da delegação norte-americana consta o casal Ivanka Trump e Jared Kushner.

Termos relacionados Massacre na Palestina, Política
Comentários (3)