Está aqui

Portland: extrema-direita manifesta-se, Trump chama terroristas a antifascistas

A extrema-direita norte-americana voltou a sair às ruas. Cerca de cinco centenas de manifestantes marcaram presença em Portland. Os antifascistas responderam com uma contra-manifestação. E o presidente dos EUA chamou-os de terroristas.
Manifestantes de extrema-direita em Portland. Agosto de 2019.
Manifestantes de extrema-direita em Portland. Agosto de 2019. Foto de @kitt_masters no Twitter.

Foi a mais visível manifestação da extrema-direita desde os acontecimentos de Charlottesville em 2017. Cerca de 500 manifestantes de vários grupos radicais como os Proud Boys, a American Guard ou a milícia Three Percenters, juntaram-se em Portland, no Estado de Oregon, num evento que concentrou as atenções mediáticas e foi alvo de uma contra-manifestação.

Houve escaramuças com a polícia, seis feridos ligeiros, foram presas 13 pessoas e apreendidos bastões de metal, latas de gás pimenta, entre outras armas.

A manifestação dos supremacistas brancos foi de curta duração. No centro da cidade ficaram cerca de meia hora. Segundo a polícia local, que mobilizou cerca de mil agentes, ao início da tarde os manifestantes abandonaram o centro da cidade.

Quem não perdeu a oportunidade de mandar achas para a fogueira foi o presidente norte-americano. No seu estilo habitual, Donald Trump twittou que estava “esperançado que o Mayor da cidade seja capaz de fazer o seu trabalho apropriadamente.” Mas não se ficou por aqui. Escreveu também que está a considerar seriamente “classificar os Antifa como uma ORGANIZAÇÃO de TERROR” (sendo as maiúsculas da responsabilidade de Trump).

Para o organizador dos protestos, Joe Biggs, do grupo Patriot Prayer, este tweet foi uma coroa de glória, tendo declarado ao Oregonian “vão ver ao Twitter do Presidente Trump. Ele falou sobre Portland e disse que está a vigiar os antifa. Isso era tudo o que queríamos.”

Já os Proud Boys ameaçam voltar todos os meses a Portland. Através do canal de Telegram do grupo, o seu líder, Enrique Tarrio transmitiu a ideia de que “mais tarde ou mais cedo [o presidente da Câmara de Portland] vai ficar sem dinheiro e os seus parceiros de governo vão deixar de o levar a sério. O caminho para o Mayor Wheeler é simples, liberte a sua cidade das garras dos antifa, tome ação direta e significativa.”

Wheeler tinha declarado à CNN que o tweet de Trump era “ruído” que “não ajudava” em nada a resolver uma situação que classificou como “potencialmente perigosa e volátil”.

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)