Está aqui

Ministério Público requereu a suspensão de funções do Presidente da EDP

António Mexia, presidente da EDP, Manso Neto, presidente da EDP Renováveis, e João Conceição, administrador da REN, são visados pelo Ministério Público, que determinou também o pagamento milhões de euros em cauções e a proibição de saírem do país.
António Mexia
António Mexia, foto de José Sena Goulão/arquivo

A notícia foi adiantada pela SIC Notícias esta sexta-feira, dando conta que as medidas de coação foram apresentadas ao juiz de instrução criminal, Carlos Alexandre.

O Ministério Público quer a entrega dos passaportes dos dois administradores, devendo os mesmos ser impedidos de entrar em todos os edifícios da EDP e de contactar com várias pessoas ligadas ao caso.

Os arguidos terão agora direito ao contraditório para a sua defesa, perante a acusação de crimes de corrupção. Segundo o Jornal Expresso, António Mexia é suspeito de quatro crimes de corrupção ativa, havendo indícios que envolvem Manuel Pinho, antigo ministro da economia de um Governo do PS (2005-2009), João Conceição, administrador da REN, Miguel Barreto, antigo diretor-geral de energia, e Artur Trindade, antigo Secretário de Estado de um Governo do PSD (2011-2015).

Termos relacionados Política
(...)