Está aqui

Hospital de Cascais acusado de viciar resultados para aumentar pagamentos do Estado

O Hospital de Cascais, cuja gestão pertence ao grupo privado Lusíadas Saúde, é acusado de alterar resultados clínicos e algoritmos da triagem da urgência, segundo uma reportagem da SIC. Esta Parceria Público Privada pretenderia aumentar as verbas recebidas pela ARS.
Imagem do Grupo Lusíadas

Os exemplos são vários. Na triagem haveria casos de sub-avaliação da dor dos doentes e da sua temperatura corporal, entre outros estratagemas. O objetivo era que fossem classificados pelo sistema de triagem como menos graves do que a situação que apresentavam. Assim, os tempos máximos de espera não seriam ultrapassados.

Por outro lado, haveria também falsificação de registos de atos não realizados como o acesso a oxigénio. Denuncia-se assim que a preocupação seria mais com o registo do que com o doente. E alguns registos também deveriam incluir estados clínicos passados dos doentes de forma a fazer com que o caso parecesse mais severo e aumentasse a comorbilidade dos utentes. Por exemplo omitindo que determinado tumor já tinha sido extraído. O objetivo aqui era influenciar o financiamento do hospital por via do índice de produção do hospital que tem em conta a complexidade das situações, o chamado “case-mix”.

Estas acusações foram feitas por um grupo de ex e atuais trabalhadores do Hospitais de Cascais que sublinham as pressões de chefias e administração para praticar estes atos de falsificação. Em todos os casos o foco seria sempre o mesmo: aumentar as verbas pagas pelo Estado a esta parceria público-privada.

O canal televisivo acrescenta na sua reportagem que muitos dos trabalhadores não falaram por recear represálias ou por ter acordos de confidencialidade em vigor. Mas aqueles que falaram parecem estar dispostos a ir até ao fim. O assunto já chegou às entidades responsáveis por investigação: Inspeção-Geral de Saúde e ao Ministério Público.

Contactada pela SIC durante a realização da reportagem, a administração do grupo Lusíadas Saúde recusou prestar declarações.

Termos relacionados Sociedade
(...)