Está aqui

Função Pública: sindicato afeto à UGT também fará greve no dia 14 de Novembro

O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) anunciou esta segunda-feira uma greve dos trabalhadores da administração pública a 14 de Novembro, dia da greve geral convocada pela CGTP. Os sindicatos da aviação civil e aeroportos também anunciaram que irão juntar-se à greve geral.
Também oito sindicatos da aviação civil e aeroportos irão juntar-se à greve geral de 14 de Novembro, em "defesa de Portugal e dos trabalhadores que representam".

Em comunicado, o STE adianta que os seus associados se pronunciaram “por larga maioria” a favor de uma greve nacional, “porque não é possível continuar a assistir sem agir ao delírio de medidas penalizadoras de quem trabalha e, de modo especial, de quem trabalha na administração pública, com uma incompreensível sanha persecutória”. Na prática, o STE junta-se assim à convocatória de greve geral feita pela CGTP.

Na base do protesto dos trabalhadores da função pública, afetos à central sindical UGT, estão medidas como o corte de um mês de salário (um subsídio), o corte de, em média, 5% nas remunerações superiores a 1.500 euros, o congelamento de promoções e progressões, a redução do valor das pensões e alteração da idade de reforma e o alargamento dos descontos às horas extraordinárias e suplementos remuneratórios.

Também a diminuição do pagamento do trabalho extraordinário (para valores “abaixo do sector privado”), a redução em 10 por cento na remuneração base diária para baixas médicas a partir do 4.º e até ao 30.º dia, o corte, para metade, do valor das licenças extraordinárias dos trabalhadores em mobilidade especial e as alterações ao IRS são medidas que merecem críticas e contestação.

Segundo o STE, os trabalhadores da administração pública perderam, em termos reais, “entre 11 e 17,5%” em 2012 e “14 a 26,9%” entre 2010 e 2012.

Sindicatos da aviação civil e aeroportos aderem à greve geral

Também oito sindicatos da aviação civil e aeroportos irão juntar-se à greve geral de 14 de Novembro, em "defesa de Portugal e dos trabalhadores que representam".
Os oito sindicatos da aviação civil e aeroportos anunciaram na sexta-feira uma greve em todo o setor, em comunicado conjunto, no qual atacam fortemente o executivo de Pedro Passos Coelho.

Os sindicatos subscritores do documento são os das Indústrias Metalúrgicas e Afins (SIMA), o Democrático dos Trabalhadores e Aeroportos e Aviação (SINDAV), o Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), o dos Quadros da Aviação Comercial (SQAC), o dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), o Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) e o dos Técnicos de Handling de Aeroportos (STHA).

Um dirigente sindical contactado pela TSF disse que a greve é um protesto pela situação do país e também pelos processos de privatizações da TAP e da ANA.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)