Está aqui

Dados da Greve Geral em todo o país

Neste artigo, o esquerda.net dá conta da adesão à Greve Geral um pouco por todo o país, incluindo informações sobre o setor público e setor privado. Última atualização às 21h20.
Manifestação em Évora. Foto de Bruno Martins.

Aveiro

Segundo dados avançados pela CGTP, no Hospital de Aveiro EPE, a adesão dos enfermeiros à Greve Geral foi de 89%. Nas urgência de Águeda, Santa Maria da Feira e São João da Madeira, registaram-se apenas os serviços mínimos, sendo que, nos dois últimos concelhos, os Internamentos contaram com uma adesão de 50% e 80%, respetivamente.

No que respeita ao setor dos transportes, o Porto de Aveiro esteve parado, a Moveaveiro não teve fiscais a fiscalizar parquímetros, enquanto nos autocarros a adesão foi de cerca de 70%.

Os serviços da Águas da Região de Aveiro (AdRA) estiveram fechados em Estarreja e com 30% dos funcionários em greve na sede. O setor operativo da Câmara da Feira registou uma adesão de 85%.

A paralisação foi total no Agrupamento de Escolas de Anadia. No Agrupamento João Afonso de Aveiro foi de 80%, no Agrupamento Oliveirinha Bairro de 95%, no Agrupamento Paços Brandão de 80% e no Agrupamento de Fiães de 90%. A Escola Secundária de Albergaria a Velha registou uma adesão de 100% e a Escola Secundária Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, de 90%.

Na corticeira Corco a adesão foi de 87% e na Amorim Revestimentos de 30%. Na cerâmica, a Cercodomus contou com 75% dos trabalhadores em greve. Na têxtil Huber Tricot 30% dos trabalhadores não compareceram ao trabalho, enquanto a percentagem se elevou para 48% na Renault de Cacia. Na Flexipol, em São joão da Madeira, a adesão foi de 87%

Beja

A União de Sindicatos de Beja registou vários “serviços fechados”, entre os quais a secção de Finanças de Beja. As autarquias de Beja, Serpa e Moura encerraram. Em Castro Verde, os serviços administrativos da Câmara encerraram. Os serviços de recolha de lixo “não funcionaram na maior parte dos concelhos” e existiram piscinas encerradas em Serpa, Moura e Vidigueira. Os infantários de Serpa e Aljustrel também tiveram as suas portas fechadas. O pólo da Inovinter – centro de formação – de Beja esteve encerrado.

Braga

Segundo noticia o jornal Público, a Greve teve uma adesão de 100% nos motoristas dos Transportes Urbanos de Braga (TUB). A União de Sindicatos de Braga apontou ainda esta manhã para uma adesão de 100% na empresa Agere na área de reciclagem e resíduos sólidos, água, saneamento, operários, fiscalização e administrativos. A gestão de resíduos sólidos em Guimarães e Barcelos também registou uma paralisação entre os 90% e os 100%.

Em Famalicão as repartições de finanças encerraram. Pelas 12h, o agrupamento de escolas EB23 Cávado encerrou por falta de funcionários.

A Moviflor manteve-se encerrada e na Tecniwood os trabalhadores concentraram-se à porta da empresa. Na Jabo Iberia registou-se uma adesão de 68% e na Bosch de 40%.

Bragança

Conforme noticiou o Semanário Mensageiro de Bragança, as repartições de Finanças de Bragança e Vimioso fecharam. A autarquia de Torre de Moncorvo também esteve de portas fechadas, bem como a de Alfândega da Fé e Miranda do Douro. Os serviços de saúde estiveram encerrados ou a meio gás. No Hospital de Bragança, a adesão à Greve por parte dos enfermeiros foi de 83%

A Padaria Seramota, em Mirandela, também terá aderido à Greve Geral, encerrando os seus serviços, segundo transmitiu ao esquerda.net um morador local.

Castelo Branco

No distrito de Castelo Branco, os serviços de saúde foram os mais afetados pela paralisação. No Hospital da Covilhã, a adesão à Greve no turno da noite foi, segundo dados avançados pela CGTP, de 97%. No Hospital Pêro da Covilhã 76% dos trabalhadores aderiram à Greve e no Hospital do fundão a paralisação dos enfermeiros foi total. No Hospital de Castelo Branco a percentagem de adesão foi de 83%.

No Agrupamento de Escolas de Castelo Branco a adesão de auxiliares e administrativos foi de 80%, no Agrupamento do Paul de 80% e no Agrupamento de Belmonte de 90%.

Na Câmara Municipal de Castelo Branco a paralisação atingiu os 100% nas áreas de eletricidade, serralharia, pintura, lavagem de contentores, carpintaria e mecânica, resíduos sólidos urbanos, e de 60% na higiene urbana, e 50% entre os canalizadores. Já na Sertã, a adesão entre os trabalhadores da autarquia do setor das estradas e mecânica foi de 100%

A repartição de Finanças da Covilhã esteve encerrada e a empresa Águas do Alardo, no Fundão, registou uma paralisação de 50%.

85% dos trabalhadores da empresa têxtil Paulo de Oliveira aderiram à Greve.

Coimbra

A CGTP apontou que os serviços de recolha de lixo urbano da Câmara Municipal de Coimbra não funcionaram. Não existiram transportes municipais e nem comboios

Nos serviços de urgência e consultas externas do Centro Hospitalar dos Covões a paralisação atingiu os 100%. No que respeita ao serviço de internamento do Hospital Pediátrico, 90% dos trabalhadores aderiram à Greve. Nos serviços de ortopedia, estomatologia, medicina, oncologia e Rx, bem como no armazém e na rouparia deste hospital a paralisação foi total. Nos Hospitais da Universidade de Coimbra o serviço de sangue as urgências registaram uma adesão de 100%, sendo a mesma de 75% nos serviços centrais, de 80% no bloco central e recobro e de 95% nas consultas externas. No IPO, todos os trabalhadores do serviço de esterilização e de rx aderiram ao protesto, já nas consultas externas e internamentos a adesão foi de 60% e 90%, respetivamente. No Hospital da Figueira da Foz, o Bloco Operatório registou uma paralisação total. A paralisação dos enfermeiros no Hospital Rovisco Pais, em Cantanhede foi de 83%.

As bilheteiras da CP encerraram e 91% dos trabalhadores da Central de Tratamento de Correio e Transportes Postais dos CTT não compareceram ao trabalho. O pólo da Inovinter – centro de formação – de Coimbra esteve encerrado.

Na Escola EB23 Carlos de Oliveira - Febres, em Cantanhede, a adesão foi de 100%, na Escola José Falcão, em Miranda do Corvo, de 98%, e na Escola Secundária Quinta das Flores, em Coimbra, de 95%. O Agrupamento de Escolas Fernando Namora, em Condeixa-a-Nova, contou com uma adesão de 90%, o Agrupamento Marquês Marialva de 85% e o Agrupamento de Escolas D. Duarte de 80%. As cantinas dos Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra encerraram.

A Fectrans salientou a paralisação do porto da Figueira da Foz.

A empresa Cartolinas do Prado, na Lousã, contou com uma adesão de 100%.

Évora

Os serviços de Higiene da Câmara Municipal de Évora e do Alandroal contaram ambos com 100% de adesão. A paralisação no serviço de recolha noturna de Portel também foi total.

No Hospital de Évora 64% de enfermeiros fizeram Greve.

A empresa Copobor - Cooperativa Popular de Consumo de Borba encerrou as portas. Já a Kemet Electronics Portugal, SA registou 90% de adesão. Na pedreira da A. Bento Vermelho a paralisação atingiu os 100%, e na fábrica ascendeu a 88%. Na Gestamp, a paralisação foi total.

Faro

Pelo menos 7 voos foram cancelados no aeroporto de Faro. As lotas do Algarve pararam, bem como os portos de pesca de Vila Real de Santo António, Tavira, Olhão e Faro.

Em Portimão, 88% dos enfermeiros do hospital juntaram-se ao protesto, assim como 52% dos auxiliares. Já no hospital de Faro 88% dos enfermeiros aderiram à greve, tal como 65% dos auxiliares.
Os Tribunais Judiciais de Faro e Loulé encerraram, bem como vários balcões da Loja do Cidadão de Faro. A adesão no Ministério Público foi de 100%.

Quanto à recolha do lixo, a paralisação foi total em Loulé, Tavira e Portimão. Em Olhão a adesão rondou os 50% e em Vila Real de Santo António os 80%.
Nenhum trabalhador da Moviflor de Olhão foi trabalhar esta quinta feira e no Lidl de Vila Real de Santo António a adesão alcançou os 95%.

Guarda

Segundo a União de Sindicatos da Guarda avançou esta manhã, no Hospital Sousa Martins, na Guarda, a adesão foi de 100% em 10 serviços - Cardiologia, Medicina Homens, Medicina Mulheres, Unidade AVC, Cirurgia mulheres, Ortopedia Homens, Ortopedia Mulheres, Urgência geral, Urgência pediátrica e Bloco Operatório. A adesão global dos enfermeiros no turno da noite foi de 66%.

Na Câmara Municipal de Seia 90% dos trabalhadores do atendimento geral aderiram à Greve, bem como 95% dos trabalhadores dos Estaleiros da Câmara Municipal de Gouveia. Os serviços de higiene urbana de Seia registaram uma adesão de 60%.

Leiria

No distrito de Leiria, 80% dos trabalhadores da Valorlis - Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A. aderiram à Greve. Em Peniche, os serviços de recolha de lixo noturna registou uma paralisação total. Nos serviços municipalizados da Nazaré a adesão foi, por sua vez, de 90%.

A repartição de Finanças e o Centro de Segurança Social das Caldas da Rainha, bem como a Conservatória do Registo Civil de Pombal Serviço, encerraram. A adesão à paralisação nos Centros de Saúde de Ansião, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos foi de 100%. 55% dos enfermeiros do Hospital de Santo André, em Leiria, também aderiram à Greve. No Hospital S. Pedro Gonçalves Telmo a paralisação dos enfermeiros foi total.

A empresa do setor químico Key Plastics Portugal SA, de Leiria, contou com uma adesão de 66%.

Lisboa

O setor dos transportes da capital contou com uma adesão massiva à Greve Geral. O Porto de Lisboa parou, não circularam comboios, o Metropolitano de Lisboa esteve totalmente paralisado e as estações encerradas. Na Carris funcionaram apenas os serviços mínimos. No que respeita ao transporte fluvial, não circulou quase nenhum barco entre as duas margens do Tejo e do Sado, enquanto na travessia entre Lisboa e Barreiro, apenas circulou um barco. Também na ligação entre Lisboa e Cacilhas somente uma embarcação assegurou a travessia. Até às 10h já tinham sido cancelados 17 voos no aeroporto de Lisboa.

Em Vila Franca de Xira, no Agrupamento de Escolas Forte da Casa, em Vila Franca de Xira, 80% dos trabalhadores aderiram à paralisação. O mesmo aconteceu na Escola EB 2 3 Dr Vasco Moniz. Já na Escola secundária Gago Coutinho a percentagem subiu para 90% e para 100% na Escola EB 3 3 de Vialonga. Em Lisboa, a Escola do Alto da Ajuda, em Lisboa, encerrou as suas portas, assim como a secretaria da Escola EB 2 3 Paula Vicente, a Escola Profissional Bento de Jesus Caraça, a Escola Vasco da Gama, a Escola Secundária do Restelo, a Escola Francisco Arruda e a Escola António Damásio. Já na Escola Básica dos Olivais e na Escola Damião de Góis, ambas em Lisboa, a adesão foi de 80% e 90%, respetivamente. Na Escola EB 2 3 Francisco Arruda 90% dos auxiliares e administrativos não foram trabalhar. Na Escola Primária nº 118 a paralisação destes trabalhadores foi total.

No setor da saúde, o Centro de Saúde da Ajuda fechou portas e no Centro de Saúde de Alcântara a adesão foi de 100%. No Hospital Amadora Sintra a greve atingiu os 90% entre os auxiliares, 100% no que respeita aos administrativos e 50% nas enfermarias e blocos. No Hospital Curry Cabral 82% dos enfermeiros aderiram à Greve, no Hospital da D. Estefânia a adesão foi de 94%, no Hospital São Francisco Xavier de 76%, no Hospital Pulido Valente de 70%, no SAMS de 75%, no Hospital de Santa Cruz de 71%, no São José e Hospital de Santa Marta de 90%, no Hospital dos Capuchos também de 90% e no Hospital Júlio de Matos de 92%. 90% dos auxiliares e administrativos do Hospital dos Capuchos aderiram à Greve, no Hospital São Francisco de Xavier foram 85% e no Hospital São José 99%. No Hospital de Santa Maria, a adesão foi total no bloco de urgência, imagiologia e auxiliares de de urgência pediátrica. No serviço de urgência foi de 90%. A paralisação na Maternidade Alfredo da Costa atingiu os 96%.

No Centro de Tratamento de Correios e Transportes de Lisboa dos CTT a adesão foi de 91%, ascendendo a 94% na Central de Cabo Ruivo.

Os refeitórios da Presidência do Conselho de Ministros e da Escola de Hotelaria do Estoril registaram uma adesão de 100% à Greve. 80% dos trabalhadores do refeitório do Hospital de São José também aderiram à Greve Geral.

Os números da Greve na EPAL são de 86% nos Olivais, 100% em Vila Franca de Xira e 100% na Amadora. Na Fisigen, do Grupo EDP, a paralisação foi total.

A Central Resíduos Sólidos Urbanos e o Aterro Sanitário da Valorsul, em Loures, registaram uma paralisação de 100% e 86%, respetivamente. A recolha de lixo esteve fortemente condicionada com vários serviços encerrados, entre os quais o serviço de Sintra.

No setor da alimentação e bebidas, foram várias as empresas a aderir à paralisação, entre as quais a Unitrato (Aeroporto de Lisboa – 85%), STEF (Póvoa de Santa Iria - 100%), STEF (Alverca – 100%), Fábrica Cervejas Sagres (Vila Franca de Xira – 100%, produção parada), Fábrica Cervejas Sagres (Vila Franca de Xira – 100%, produção parada), Centralcer (94%, produção parada), MiniPreço (Chelas - 97%, encerrado).

Os efeitos da Greve também se fizeram sentir em empresas como a Portalex (Sector Metalúrgico - Sintra, 75%), a Tudor / Exide (Sector Eléctrico - Vila Franca de Xira, 70%), a SGSP – Saint Gobain Sekurit Portugal (Vidro Automóvel, 100%), a IMPORMOL (Azambuja, 97%), a CT / Cobert Telhas (Sector da Cerâmica, 75% - produção parada), a Frauenthal (Azambuja, 97%) e a Abrigada (empresa fabricante de produtos cerâmicos refratários, 93%)

A CGD e o BES foram encerrados em Sobral de Monte Agraço e nos Bombeiros Sapadores de Chelas registou-se uma adesão de 100%. A associação de Atividades Sociais Bairro 2 de Maio encerrou.

A Imprensa Nacional Casa da Moeda contou com uma paralisação de 98%.

Portalegre

No distrito de Portalegre, a recolha de lixo noturna registou uma adesão total à Greve Geral no Crato, Castelo de Vide, Avis e Gavião.

No Hospital de Portalegre, 93% dos enfermeiros não se apresentaram ao serviço. No Hospital de Elvas a adesão dos enfermeiros foi de 89%.

Porto

Nos STCP, a paralisação foi de 100%, não circulando nenhum autocarro. Na CP a adesão também foi total. Até às 10h já tinham sido cancelados 2 voos no aeroporto do Porto. Na Auto-Estradas Litoral Norte a Greve teve uma adesão de 100%.

No Centro de Tratamento de Correios e Transportes Postais do Porto, a adesão à paralisação foi de 91%. Já no Centro de Tratamento da Maia 92% dos trabalhadores aderiram aos protestos.

Nos Centros Hospitalares da Póvoa/Vila do Conde e de Vila Nova de Gaia a adesão à Greve por parte dos enfermeiros foi de 76% e 73%, respetivamente. Já no Hospital de São João 83% dos enfermeiros não se apresentaram ao serviço. A adesão no IPO foi de 80%. Os números gerais da Greve são de 80% no Hospital de Santo António, 75% no Hospital Padre Américo, em Penafiel, e de 85% no Hospital de Vila Nova de Gaia. Nos Hospitais de São João e Pedro Hispano o Bloco operatório esteve encerrado.

No setor da educação, todos os auxiliares e administrativos da Escola Básica de Valongo aderiram à paralisação. Na Escola EB 2/3 de Valpaços a adesão foi total. A Escola Profissional Bento de Jesus Caraças encerrou.

Os serviços de recolha de lixo da Câmara Municipal do Porto registaram uma adesão à Greve de 60%. Já a paralisação na Junta de Freguesia de Arcozelo, em Vila Nova de Gaia, atingiu os 100% e na Junta de Freguesia da Campanhã 99%.

A empresa Águas do Porto regista uma adesão à Greve Geral de 80%.

Os supermercados Dia/Minipreço da Visconde Setúbal, no Porto, e de Matosinhos contaram com uma paralisação de 50%. Na loja da Miguel Bombarda, no Porto, a adesão foi de 100%. Na Póvoa do Varzim, o Pingo Doce registou uma paralisação na ordem dos 60%.

Várias empresas de construção registaram uma forte adesão à Greve, como a Antero e Carvalho (75%), António Sousa e Filhos (65%), Aurélio e Sandro Sociedade de Construção (63%), Const. Pereira Gomes (75%) e a Construtora David Gomes (75%).

Também a Sakhit (Sector Metalúrgico – Maia, 71%), a Gros Beckert (Sector Metalúrgico - Vila Nova Gaia, 56%), a Inapal Plásticos SA (em Leça do Balio, 85%) ou o Hotel Ipanema Park 90%, entre muitos outras, registaram paralisações relevantes.

Santarém

A EPAL de Vale da Pedra e da Asseiceira, no distrito de Santarém, registaram uma paralisação de 75% e 100%, respetivamente, enquanto a adesão à Greve na Águas de Santarém foi de 85%.

No Centro Hospitalar do Médio Tejo 92% enfermeiros aderiram à Greve Geral. A adesão dos auxiliares no Hospital de Torres Novas foi de 100%.

Na EMEF no Entroncamento só trabalharam 9 trabalhadores e a Mitsubich parou por completo a produção.

No que concerne às autarquias, na Câmara Municipal (CM) de Alpiarça a adesão foi de 98%, na CM do Entroncamento de 80%, na CM de Coruche de 80%, na CM do Cartaxo de 90%, na CM da Golegã de 40% e na CM de Santarém de 75%.

Os CTT de Coruche registaram 79% de grevistas e a Electrotejo 99%. A mesma percentagem foi registada na Rodoviária do Tejo.

Na Frasam – Fundição do Rossio de Abrantes, a adesão foi de 60%, na Fundação José Relvas de Alpiarça de 98% e na Renoldy (Sector Alimentação – Alpiarça) de 100%, o que levou à paragem da produção.

Setúbal

O Metro Transportes do Sul não circulou esta quinta feira. Na Barraqueiro Transportes a adesão foi de 75% e na Atlantic Ferries de 100%. 90% dos trabalhadores dos TST - Seixal e Almada e Laranjeiro – aderiram à paralisação. A adesão nos TST - Linha do Sado Linha do Sado – foi de 70%.O Arsenal do Alfeite registou uma adesão de 90%, a EMEf de 100%. O Porto de Setúbal e a Linha do Sado da CP estiveram encerrados.

No Hospital do Outão a adesão entre os enfermeiros foi de 78%, no Hospital de Setúbal de 90%, no Hospital do Barreiro 98%, no Hospital do Montijo de 100%, no Hospital Litoral Alentejano de 86%, e no Hospital Garcia de Orta de 91%.

A Escola Profissional Bento de Jesus Caraça no Barreiro e no Seixal encerrou.

Os serviços de recolha de resíduos sólidos urbanos de Alcochete, Barreiro, Seixal, Sesimbra e Almada, e o serviço diurno de Grândola e Santiago do Cacém e noturno de Palmela e Moita contaram com uma paralisação de 100%.

Na Comunidade Piscatória da Fonte da Telha a adesão foi de 61% e na Pesca Polivalente em Sesimbra de cerca de 70%. As lotas de Setúbal e Sesimbra encerraram e o cerco de Setúbal e Sesimbra registou uma paralisação de 100%.

As empresas do Complexo Industrial da Auto Europa pararam a produção. A produção da Lisnave também esteve suspensa, bem como a da Euroresinas Sonae Industria (Sines).

Na EDP – Central Termoeléctrica de Sines a adesão à Greve atingiu os 82%, na Fisigen, do grupo EDP, no Barreiro, os 100%, bem como na STEF, do setor da Alimentação, em Palmela, na Mecânica Piedense (Madeiras), os 68%, na Cavan Setubal (cerâmicas), os 82%, na Visteon – Palmela, os 85%, e na Tanquipor Barreiro, os 100%.

A Caixa Geral da Moita encerrou, bem como todos os serviços municipais da CM do Barreiro.

Viana do Castelo

No distrito de Viana do Castelo, a Conservatória Registo Predial e Comercial, o Tribunal Judicial, o Tribunal de Trabalho, o Serviço de Finanças e a Biblioteca Municipal encerraram os seus serviços, enquanto a Câmara Municipal viu a sua atividade reduzida.

Os Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo registaram 100% de adesão, assegurando apenas os serviços mínimos. A adesão à Greve também foi total nos Estaleiros Navais.

A Browning Viana, Fábrica de armas e artigos de desporto, SA encerrou.

Vila Real

No Centro Hospitalar de Chaves a greve teve uma adesão de 76% e no Hospital de Vila Real de 60%. O Centro de Saúde de Mateus (Vila Real) e o Centro de Saúde de Vidago encerraram.
A paralisação foi total na Conservatória do Registo Civil de Vila Real e na Repartição de Finanças do Peso da Régua.

No setor da educação, a EB 2,3 Vidago registou uma adesão de 93%, o Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto se 90% e o Agrupamento de Escolas de Valpaços de 65% .

Os serviços da Gertal-Companhia Geral de Restaurantes e Alimentação SA de Chaves e Vila Real encerraram, mediante a adesão massiva dos trabalhadores.

Também a loja da Moviflor fechou as suas portas.

Na Câmara Municipal do Peso da Régua 50% dois trabalhadores fizeram greve.

Na empresa Aleu, de fabrico de produtos de salchicharia tradicional Transmontana, a paralisação foi de 40%.

Viseu

Em Viseu várias repartições de finanças encerraram, entre as quais Viseu e Mangualde, bem como inúmeros tribunais, como o de Lamego e Mangualde. Registou-se igualmente o encerramento de alguns estabelecimentos de ensino, como os Jardins de Infância de S.J Lourosa, do Carvalhal e de Torredeita, a Escola EB 2/3 do Caramulo e a Escola Secundária de Moimenta da Beira.

No Hospital de Lamego a adesão à Greve por parte dos enfermeiros foi de 69%, no Hospital de Tondela de 100% e no Hospital de Viseu de 73%. Neste último hospital, registou-se uma adesão de 100% na esterilização e bloco operatório.

Os serviços de recolha de lixo da CM de Viseu contou com uma adesão à paralisação de 75% e a Transdev de 90%.

No setor privado, na Granimundo, empresa de corte de mármore 75% dos trabalhadores aderiram ao protesto.

Açores

Em Ponta Delgada, os serviços noturnos de recolha de lixo registaram uma adesão de 95%.

As repartições de Finanças de Ponta Delgada, Ribeira Grande, Santa Cruz, Madalena e Nordeste encerraram e o Tribunal de Angra do Heroísmo contou com uma adesão de 100%.

No Hospital de Angra do Heroísmo 89% dos enfermeiros aderiram ao protesto e no Matadouro do Faial a adesão foi de 74%.

Madeira

A Câmara Municipal de Funchal e a Câmara Municipal da Calheta viram os seus serviços encerrados esta quinta feira, como consequência da adesão dos seus trabalhadores à Greve Geral.

No Funchal os serviços de limpeza urbana registaram uma adesão de 100% e no Hospital Dr Nélio Mendonça 95% dos enfermeiros aderiram ao protesto.

Termos relacionados Greve Geral 27 junho 2013, Sociedade
(...)