Está aqui

Alegre critica silêncio de Cavaco

Manuel Alegre acusou, esta sexta-feira, Cavaco Silva de ficar calado numa altura em que os mercados financeiros cercam Portugal e desferem “o mais violento ataque à soberania nacional”.
“É preciso não vergar os joelhos perante a ameaça dos mercados financeiros internacionais”, disse Manuel Alegre

“É preciso não vergar os joelhos perante a ameaça dos especuladores, "esses abutres a quem chamam de mercados financeiros internacionais”, disse Manuel Alegre, em Lamego, criticando o facto de “perante esta situação de cerco” não se ouvir uma uma palavra do Presidente da República.

“Estamos perante o mais violento ataque à soberania nacional desde o 25 de Abril e o Presidente da República, o afamado economista, não diz uma palavra”, afirmou.

“Muitas vezes perguntam-lhe coisas e ele diz que não se pronuncia, que o Presidente da República não se deve pronunciar. Mas se há coisa sobre a qual o Presidente da República se deve pronunciar é sobre uma situação de crise nacional, sobre uma ameaça muito grande à nossa autonomia de decisão, depois do sacrifício que foi feito e dos sacrifícios que estão impostos aos portugueses”, considerou.

Na sua intervenção, o candidato às eleições presidenciais pediu também ao PS para “acordar”, afirmando que, caso não vença as eleições presidenciais, “saem todos a perder”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)