Está aqui

Aeroporto do Montijo: Governo "condicionou qualquer decisão" da APA

Joana Mortágua afirmou que, ao dizer que não havia plano B para o aeroporto do Montijo, o Governo "condicionou qualquer decisão" da Agência Portuguesa do Ambiente. Bloco considera que as medidas de mitigação recomendadas são insuficientes e defende um estudo estratégico ambiental comparativo.
Base Aérea do Montijo. Foto de Ricardo Gomes/Flickr .

"O que o país precisava era que houvesse um estudo estratégico ambiental para comparar as várias localizações possíveis de um novo aeroporto e nelas descobrir aquela que fosse menos prejudicial para as pessoas e melhor para o desenvolvimento do país porque sabemos que o país precisa de um novo aeroporto. Infelizmente não foi isso que aconteceu", destacou a deputada bloquista em declarações aos jornalistas na Assembleia da República.

De acordo com Joana Mortágua, citada pela agência Lusa, "o Governo, ao dizer que não havia plano B e que a decisão já estava tomada mesmo antes de ser feito o estudo de impacto ambiental, condicionou e condicionaria sempre qualquer decisão que a APA viesse a tomar".

"Não nos parece que as medidas de mitigação que são recomendadas pela APA resolvam problemas que são estruturais da localização do aeroporto ou que sejam suficientes para apagar as consequências que esse aeroporto terá", frisou, sinalizando que “parece inacreditável que em pleno século XXI, não tenha acesso ferroviário. Tem apenas acesso rodoviário e pela ponte Vasco da Gama, cuja empresa que decidiu a localização deste aeroporto é acionista".

A dirigente do Bloco afirmou que o que a APA faz "é reconhecer que há problemas de mobilidade neste aeroporto, que são evidentes e que não vão ser resolvidos".

"Há problemas em relação ao ambiente e ao impacto ambiental e em relação às aves e há problemas em relação à população e à qualidade de vida das populações e à maneira como ela vai ser afetada", acrescentou, defendendo que "uma decisão desta dimensão relativa a um novo aeroporto nunca poderia estar nas mãos de uma empresa privada".

"É uma decisão que depende de um estudo estratégico ambiental e é uma decisão para ser tomada pelos órgãos de soberania do país porque é uma decisão estratégica para o país", vincou.

Na quarta-feira, a APA viabilizou a proposta de Declaração de Impacte Ambiental (DIA) relativa ao aeroporto do Montijo e respetivas acessibilidades, tendo a decisão sido "favorável condicionada", viabilizando o projeto.

"A DIA é favorável condicionada, viabilizando assim o projeto na vertente ambiental. A DIA inclui um pacote de medidas de minimização e compensação ambiental que ascende a cerca de 48 milhões de euros", apontou a APA.

Termos relacionados Política
(...)