Habitação: responder à crise

Catarina Taborda, do coletivo Covilhã a Marchar, defende que não é radical sair à rua para exigir melhores contratos de arrendamento e tetos máximos para as rendas, radical é não ter acesso a um direito constitucional. Concentração do próximo dia 30 tem início às 15h, em frente à Câmara Municipal da Covilhã.

 

A proposta apresentada por Catarina Martins de sujeitar a uma taxa especial, para quem compra e vende num curto período e com muito lucro, não resolve todos os problemas de habitação do país. Mas tem efeitos imediatos.

Joana Mortágua

Desde 2015, o preço da habitação não parou de subir em Portugal. Os últimos dados apontam para um aumento médio de 16,4% entre maio de 2017 e 2018, para o qual contribuíram as valorizações nas áreas de Lisboa e Porto.

Mariana Mortágua

O Bloco requereu a votação dos seus projetos sobre habitação para dia 18. O PS decidirá se vai contribuir para uma nova lei do arrendamento ou se contribui para o agravamento da crise no acesso à habitação.

Pedro Soares

O direito à habitação, um dos direitos constitucionais mais maltratados no nosso país, tem sido ameaçado pela combinação explosiva de quatro dinâmicas.

José Soeiro