Estafetas

Dois trabalhadores viram reconhecido o vínculo laboral mas a empresa anunciou imediatamente que vai recorrer. Ao longo dos últimos meses, vários casos têm vindo a ser decididos em sentidos diferentes sendo sempre sujeitos a recurso. Num dos já decididos, a Relação de Évora dá razão ao estafeta.

Foram 15.800 os estafetas da multinacional que recorreram à arbitragem na tentativa de ver reconhecidos contratos de trabalho. Pretendem serem ainda compensados por salários não pagos, horas extras e despesas relacionadas com o trabalho, como combustível, despesas dos veículos e uso do telemóvel.

Os estafetas têm estado em luta por remunerações justas e condições de trabalho. Este sábado realizaram uma paralisação nos principais pontos de recolha de Coimbra, durante a hora do jantar, em noite de final da Liga dos Campeões. Num dos locais da paralisação, um dos McDonald's da cidade, Hans Donner, dos Estafetas Unidos, fala das razões desta luta e dos próximos passos.

A greve por melhores salários e condições de trabalho aconteceu na quinta-feira, com uma concentração ao início da noite na Avenida do Mar.

Esta segunda-feira, os trabalhadores da Glovo promoveram uma paralisação nacional. Marcel Borges, dos Estafetas em Luta, explicou ao Esquerda.net quais as principais reivindicações e objetivos do protesto. Novas ações estão agendadas para 2 de junho.