Está aqui

Miguel Guedes

Músico e jurista. Escreve com a grafia anterior ao acordo ortográfico de 1990.

Artigos do Autor(a)

4 de Julho, 2020 - 23:08h

Mais alguns ossos de esqueletos a sair do armário.

22 de Junho, 2020 - 10:58h

A medida da nossa resiliência está em teste covid-19 e não pode continuar a contornar a adaptação à mudança.

14 de Junho, 2020 - 12:09h

O discurso de Tolentino Mendonça no 10 de Junho é um exemplo magistral sobre os caminhos que a poesia pode trilhar para inundar a política e salvá-la.

6 de Junho, 2020 - 22:32h

Como se podia ler num cartaz ostentado por um adolescente americano, "Queridos brancos, parem de usar o Dr. King como um exemplo de protesto pacífico. Vocês também o mataram".

31 de Maio, 2020 - 14:15h

A arte de ultrapassar obstáculos ocasionais pode inscrever-se num manual sem instruções, elevada a figura de estilo de um momento, misto de superação acidental ou esporádica.

25 de Maio, 2020 - 21:43h

No dia em que morria cerca de um brasileiro por minuto pela acção do coronavírus, o presidente do Brasil mostrava a sua boa-disposição, gargalhando nas redes sociais sobre a diferença de tomas entre a Direita e a Esquerda brasileira.

18 de Maio, 2020 - 10:58h

Resumir o conflito institucional entre António Costa e Mário Centeno a um problema de comunicação seria uma doce e meiga resolução para um primeiro-ministro que tratou de travar a fundo para guinar de direcção.

14 de Maio, 2020 - 21:54h

Não fossem as denúncias públicas relativamente ao plano de subalternização/extinção do aeroporto Sá Carneiro por parte da TAP, estaríamos provavelmente condenados a cantarolar "anda comigo ver os aviões". Em terra.

5 de Maio, 2020 - 11:35h

Acredito que tenha havido transmissão em direto na SportTV. O plano de desconfinamento da Covid-19, anunciado por António Costa, acelerou o passo, encontrou espaço para reunir os presidentes dos "três grandes", esqueceu todos os outros e avançou para o simulacro de normalidade que se avizinha.

27 de Abril, 2020 - 09:49h

Hoje seria uma curiosa data de encerramento. A divisão artificialmente criada à volta da realização da cerimónia do 25 de Abril no Parlamento fez desta data uma arma de arremesso e de viral joguete político.

Páginas