Está aqui

Senado da Argentina discute despenalização do aborto

Esta quarta-feira, o Senado da Argentina discute um projeto-lei que visa a despenalização do aborto. O assunto tem criado divisões acentuadas na sociedade argentina.
O assunto tem dividido muito a sociedade argentina. Nas últimas semanas, tem havido várias marchas contra e a favor da despenalização.
O assunto tem dividido muito a sociedade argentina. Nas últimas semanas, tem havido várias marchas contra e a favor da despenalização.

A votação ocorrerá esta quarta-feira ou na madrugada de quinta, caso a discussão se prolongue. Se a despenalização for aprovada, a Argentina juntar-se-á a Cuba, ao Uruguai, às Guianas e à Cidade do México, os únicos lugares da América Latina onde o aborto foi despenalizado. Entretanto, a Câmara de Deputados já aprovou a legalização até às 14 semanas na Argentina: 129 votos a favor e 125 contra. O projeto prevê ainda que a medida seja gratuita em todos os centros de saúde do país.

Neste momento, há várias sondagens que indicam que houve uma mudança na opinião pública, o que significa que a maioria defenderá agora a descriminalização da interrupção voluntária da gravidez.

Por outro lado, as estimativas dos média argentinos indicam que o Senado poderá reprovar a proposta, já que este tem um pendor mais conservador do que a Câmara dos Deputados. Assim, as estimativas apontam para 37 votos contra num total de 72 senadores.

Segundo estimativas do Ministério da Saúde, entre 350 mil e 450 mil mulheres grávidas abortam por ano, o que significa uma a cada 90 segundos.

O assunto tem dividido muito a sociedade argentina. Nas últimas semanas, tem havido várias marchas contra e a favor da despenalização.

Termos relacionados Internacional
(...)