Está aqui

Petição pelo encerramento dos shoppings aos domingos já tem mais de 50 mil assinaturas

O tema foi recolocado no debate público no domingo de Páscoa pelo bispo do Porto. Comércio fechado ao domingo traz mais qualidade de vida, defende a petição.
Foto Juanedc/Flickr

A abertura das grandes superfícies e supermercados ao domingo é a “expressão de um certo subdesenvolvimento humano e mesmo económico”, afirmou o bispo do Porto na homilia pascal. D. Manuel Linda falava acerca do “novo esclavagismo da laboração contínua legalmente imposta pelos novos senhores do mundo que dominam a economia e, por esta, os governos”, que inclui também o trabalho por turnos em “setores onde, para além da ganância, nada os justifica”, provocando o “fracionamento dos encontros familiares” e “graves transtornos psicológicos ao trabalhador”.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, referidos pelo Diário de Notícias, um em cada cinco trabalhadores portugueses trabalha ao domingo, ou seja, mais de um milhão de pessoas. Se olharmos para o número dos que trabalham ao sábado, são mais de dois milhões. Para o líder da CGTP, o país está a assistir a uma tendência de laboração contínua, citando os casos de uma empresa de cortiça e outra de batatas fritas que pediram recentemente autorização ao Ministério do Trabalho para funcionarem em laboração contínua.

“O domingo deve ser obrigatoriamente dia de descanso e o sábado seria pago como trabalho suplementar. O perigo da laboração contínua é ainda o de retirar direitos aos trabalhadores que cumpram serviço aos fins de semana: esses dias passam a ser considerados dias normais e os trabalhadores não são compensados por isso”, denuncia Arménio Carlos.

Ao contrário de países como a Alemanha, França, Holanda, Noruega ou Grécia, que apenas admitem algumas exceções ao encerramento do comércio ao domingo, em Portugal deixaram de haver restrições à abertura das lojas durante o mandato do governo anterior. O pontapé de saída para a abertura dos hipermercados ao domingo foi dado pelo governo de António Guterres, limitando o horário até às 13h. E em 2010, o governo de José Sócrates levantou essa limitação.

Agora que o tema entrou novamente no debate público, uma cidadã lançou uma petição online pelo encerramento dos shoppings ao domingo, onde relata a sua experiência quando viveu durante um ano na cidade francesa de Lyon e encontrou os centros comerciais e supermercados encerrados ao domingo. “Fiquei um pouco chocada e preocupada. Como iria eu organizar a minha vida se trabalhava toda a semana e só folgava ao fim de semana? Não estava nada a contar com aquilo, mas para minha surpresa foi muito fácil adaptar-me. Percebi que por ser forçada a organizar-me de outra forma, acabava por ter mais tempo e disposição para mim e para a minha casa e família”.

Esta petição dirigida ao parlamento ultrapassou em poucos dias as 50 mil assinaturas e pode ser subscrita aqui.

Termos relacionados Sociedade
(...)