Está aqui

Feiras e mercados: “Vai o governo deixar para trás novamente milhares de famílias?”

A deputada bloquista Isabel Pires aponta que nos “últimos meses os agentes do setor provaram que é possível termos a realização de feiras e mercados” e questiona o executivo sobre a intenção de voltar a proibir feiras e mercados.
Isabel Pires - Foto de Paula Nunes
Isabel Pires - Foto de Paula Nunes

Nas redes sociais, Facebook e Twitter, a deputada Isabel Pires do Bloco de Esquerda dá a conhecer as perguntas que fará ao Governo, através do ministério da Economia, sublinhando que “não podemos voltar a cometer os mesmos erros da primeira vaga da pandemia”

A deputada lembra que as “feiras e mercados foram das primeiras atividades a terem dever de encerramento em março, no início da pandemia em Portugal” e que, “já na fase de desconfinamento foram das últimas a serem levadas em conta pelo Governo, enquanto ficaram milhares de microempresas e trabalhadores meses sem apoios”.

Isabel Pires recorda também que o parlamento viria a aprovar alterações legislativas “por forma a conceder apoios sociais a estes trabalhadores” e também para garantir o seu funcionamento, garantindo as regras sanitárias.

“Ao longo dos últimos meses os agentes do setor provaram que é possível termos a realização de feiras e mercados dentro das regras impostas, com a articulação de entidades de saúde, municípios e governo”, considera a deputada, salientando que “agora voltam a ser prejudicadas na segunda vaga". "Não se compreende a criação de desigualdades, nomeadamente face a comércio feito em espaços fechados”, sublinha Isabel Pires.

E, perante isso, explicita as perguntas que fará ao ministro da Economia:” Porquê esta opção do governo? Que medidas vai o governo tomar para encontrar soluções para este setor, já tão fortemente penalizado? Vai o governo deixar para trás novamente milhares de famílias que dependem desta atividade?”

 

Termos relacionados Política
(...)