Está aqui

Catarina: “temos de ir às rendas excessivas do setor energético”

Este sábado, no acampamento do Bloco de Esquerda, a realizar-se até dia 30 de julho no parque de campismo de Martinchel, Catarina Martins informou que o governo já aceitou a proposta do Bloco: a necessidade de reduzir o IVA de eletricidade.
Após as negociações, esta “é uma boa notícia”: “o IVA da eletricidade vai descer no próximo Orçamento do Estado”.
Após as negociações, esta “é uma boa notícia”: “o IVA da eletricidade vai descer no próximo Orçamento do Estado”.

Catarina começou por referir-se ao preço da energia, dizendo que “não tem sentido que um bem essencial como a eletricidade pague a taxa máxima do IVA”.

Assim, “temos de ir às rendas excessivas do setor energético”, afirmou, acrescentando que “já há dados que permitem ao governo cortar 500 milhões de euros nessas rendas excessivas para o ano que vem”.

Dessa forma, é possível “descer a fatura da luz” e “pela via fiscal também”. Ou seja, "devemos reverter essa que foi uma medida da direita e da troika: voltar à taxa reduzida de IVA”, defendeu.

“Dou conta de que o governo começa a dar sinal de que percebe essa exigência do Bloco”, afirmou a coordenadora do Bloco, acrescentando que “este é um ponto do Orçamento do Estado”.

Assim, após as negociações, esta “é uma boa notícia”: “o IVA da eletricidade vai descer no próximo Orçamento do Estado”.

Termos relacionados Política
(...)